×

Pinóquio em NY | Confira 15 mentiras descaradas que Bolsonaro disse em seu discurso na ONU

Em 12 minutos de discurso, Bolsonaro conseguiu desferir pelo menos 15 mentiras descaradas e criminosas. É mais do que 1 mentira por minuto. Um feito e tanto, considerando a fala pausada de quem tem dificuldade de falar lé com cré.

terça-feira 21 de setembro | Edição do dia

Mentira 1: “Estamos há 2 anos e 8 meses sem qualquer caso concreto de corrupção”.

Parece piada, mas Jair Bolsonaro realmente disse isso. Os escândalos da Covaxin parece não existir para o nosso presidente. Desvios de dinheiro, propina em compra de vacinas, superfaturamento, prevaricação, nada disso importa. Mas a lista de casos de corrupção é bem grande e vai além das barbáries da pandemia. Entre denúncias e inquéritos, listamos aqui os mais chamativos: O inquérito de interferência na PF, por parte do presidente; o inquérito das fake news, envolvendo o presidente e seus filhos; os três inquéritos no STF do chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, envolvido em corrupção; o laranjal do PSL envolvendo Marcelo Álvaro, ministro do turismo; a investigação de Caixa 2, envolvendo o ministro Onyx Lorenzoni. A lista é longa. Se fôssemos entrar nos casos da rachadinha, então…

- Leia mais: 2 de outubro: derrotar Bolsonaro com um programa operário para que os capitalistas paguem pela crise:

Mentira 2: “O Brasil tem um presidente que acredita em Deus, respeita a Constituição e seus militares, valoriza a família e deve lealdade a seu povo.”

Bolsonaro não respeita a Constituição, não valoriza a família e tampouco deve lealdade a seu povo. Bolsonaro valoriza apenas a sua família e suas ações, em grande medida, servem para proteger seus filhos nos inquéritos em curso (sejam os envolvendo rachadinha, sejam os envolvendo Fake News). Bolsonaro, na verdade, vem destruindo as famílias brasileiras com sua política de fome, privatizações e retirada de direitos. A única lealdade que possui é com o capital financeiro, ao qual presta contas com as reformas neoliberais.

Mentira 3: “Estávamos à beira do socialismo.”

O socialismo é caracterizado pela expropriação dos meios de produção por parte da classe trabalhadora, por uma planificação econômica e monopólio do comércio exterior. Isso tudo sob o controle de um Estado operário controlado pelos próprios trabalhadores. Isso nunca chegou perto de ocorrer com o PT. Pelo contrário, nunca antes na história desse país os bancos e grandes empresários lucraram tanto como no governo do PT, parafraseando Lula. Se Haddad vencesse, a política econômica seguiria fundamentalmente a que o PT sempre seguiu, de honrar a dívida pública com os grandes bancos, de seguir as orientações dos órgãos imperialistas, de não tocar nos grandes privilégios das classes dominantes. Isso aí é cantilena para engambelar os desavisados.

Mentira 4: “Nosso Banco de Desenvolvimento era usado para financiar obras em países comunistas, sem garantias.”

Além de ser uma piada chamar Venezuela de “comunista”, é mentira que os financiamentos que os governos FHC, Lula e Dilma fizeram a países como a Venezuela foram feitos sem garantias. Os seis países beneficiados com financiamentos do BNDES foram Angola, Argentina, Venezuela, República Dominicana, Equador e Cuba. Quem saiu lucrando foram as nada comunistas Odebrecht, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e OAS. Se há algo a acusar dos governos petistas foi que eles tentaram lançar global players na competição internacional capitalista, mais perto de Wall Street do que do Kremlin… O PT ajuda a desenvolver uma burguesia nacional corrupta e Bolsonaro ainda os acusa de comunistas… E sim, foi tudo com “garantias”

Mentira 5: “Apresento agora um novo Brasil com sua credibilidade já recuperada.”

Credibilidade? Sério? O negacionismo, as quase 600 mil mortes, o desemprego beirando 15%, uma inflação galopante, fome se multiplicando e o cara ainda tem a pachorra de falar em “credibilidade recuperada”?

Mentira 6: “São 8,5 milhões de quilômetros quadrados, dos quais 66% são vegetação nativa, a mesma desde o seu descobrimento, em 1500.”

Ah, claro! Mantivemos a mesma vegetação nativa desde 1500. Se não fosse Bolsonaro, nossos biomas estariam ameaçados, não é mesmo? A questão é que esse dado não confere à realidade dado que o número de 66% não necessariamente corresponde a áreas preservadas. A agropecuária, por exemplo, nas últimas décadas derrubaram boa parte da vegetação nativa para produção. Cerca de 24 estados, entre 1985 e 2020, tiveram perda de vegetação nativa segundo a ONG MapBiomas

- Saiba mais: Participe da plenária sobre manifesto internacional marxista na luta ambiental

Mentira 7: “Somente no bioma amazônico, 84% da floresta está intacta, abrigando a maior biodiversidade do planeta.”

Segundo a WWF-Brasil, o bioma amazônico perdeu 19% da sua área original, portanto 81% estaria preservado e não 84%. Essa “pequena” diferença é o equivalente ao tamanho do estado do Acre. Além desse “pequeno” detalhe, é mentira dizer quer que esses mais de 80% estão “intactos”, pois manter a cobertura florestal é diferente de “intacto”.

Mentira 8: “Na Amazônia, tivemos uma redução de 32% do desmatamento no mês de agosto, quando comparado a agosto do ano anterior.”

O cara de pau manipula dados, porque no período anterior ao de agosto, entre janeiro e agosto deste ano, o desmatamento foi mais que o dobro do que o do mesmo período de 2018, quando Bolsonaro não estava no poder. É inegável que houve um aumento expressivo no desmatamento graças à política devastadora de Jair e Salles. Essa frase é tipo o empresário que não dá reajuste durante dois anos e meio e, durante um mês, dá um extra no VA da peãozada e fala que o salário voltou a aumentar.

Mentira 9: “O Brasil já é um exemplo na geração de energia com 83% advinda de fontes renováveis.”

Na verdade a oferta interna de energia renovável é de 48,4%, segundo o Balanço Energético Nacional, produzido pela Empresa de Pesquisa Energética. Ou seja, energia hidráulica, lenha e carvão vegetal, derivados de cana, eólica, solar e outras representam menos da metade da oferta. Mais de 33% é de petróleo e derivados, enquanto que gás natural e carvão mineral representam mais de 16%. Os dados estão todos aqui

Mentira 10: “600.000 índios vivem em liberdade e cada vez mais desejam utilizar suas terras para a agricultura e outras atividades.”

É uma mentira criminosa dizer que, sob o governo Bolsonaro e sob o Estado brasileiro, os indígenas vivem “em liberdade”. Além de parar as demarcações de terra, estamos no pior momento referente à demarcação de terras indígenas. Os yanomamis já foram alvos de ataques duros por parte do governo. Na semana passada publicamos uma denúncia de um bárbaro assassinato de liderança Karajá por parte da PF e da Funai. Contra Bolsonaro, os indígenas mostram o caminho.

Mentira 11: “Política externa séria e responsável promovida pelo nosso Ministério de Relações Exteriores.”

Gente, sério? Alguém se lembra do Ernesto Araújo? O mentecapto do Itamarati? O cara falava que a vitória de Bolsonaro era o fim do “estado gramsciano” no Brasil. O trumpista anti-globalista dizia que bilionários como George Soros era comunista. O Ministério de Relações Exteriores se transformou num puxadinha olavista grotesco com o objetivo de levar a frente uma cruzada anti-marxista que gera desprezo por onde passa.

Mentira 12: “Sempre defendi combater o vírus e o desemprego de forma simultânea e com a mesma responsabilidade.”

Depois da décima, parece um vídeo do Porta dos Fundos. “Sempre defendi combater o vírus e o desemprego de forma simultânea”?? Nem o vírus, nem o desemprego. Pelo contrário, Bolsonaro disse que o primeiro era armação da China e que o segundo era culpa dos governadores e que não podia fazer nada. Em que pesem as enormes responsabilidades dos governadores em de fato ampliar o desemprego, a fome e também a crise pandêmica, Bolsonaro foi uma negação em combater qualquer coisa que não fosse o bom senso.

Mentira 13: “As medidas de isolamento e lockdown deixaram um legado de inflação, em especial, nos gêneros alimentícios no mundo todo.”

Política de preços da Petrobrás que encarecem o combustível, crise hídrica e aumento das tarifas de luz, arrocho no salário mínimo, reforma da previdência, todas essas políticas, que tem impacto direto no preço dos alimentos e/ou na capacidade de compra da população, são responsabilidade de Bolsonaro. O Congresso e os governadores compartilham dessas responsabilidades, mas isentar o Jair seria simplesmente surreal.

Mentira 14: “Apoiamos a vacinação”

Tirando o fato de dizer que ela servia apenas para enriquecer a China e outros, de que poderíamos nos transformar em jacarés, que negou dezenas de emails de produtores de vacinas, que atrasou e boicotou a compra de vacinas, que não incentivou e fez de tudo para que não tivesse vacinação a tempo… mesmo se tirar tudo isso, não dá pra dizer que o governo Bolsonaro apoiou a vacinação. Desde o início ele boicotou e foi contra a vacinação, levando à morte de centenas de milhares.

Mentira 15: “No último 7 de setembro, data de nossa Independência, milhões de brasileiros, de forma pacífica e patriótica, foram às ruas, na maior manifestação de nossa história, mostrar que não abrem mão da democracia, das liberdades individuais e de apoio ao nosso governo.”

Pacífica? Não, eles pediam AI-5, volta dos militares, retirada de direitos democráticos. Maior manifestação de nossa história? Também nem perto disso. Os atos de junho de 2013 foram consideravelmente maiores e não pediam nem ditadura militar nem gritavam “mito”, e sim pediam educação, saúde, transporte, melhores condições de vida. Nem democracia nem liberdades individuais esses atos pediam, e sim a volta de um regime político ditatorial cujos porões eram invadidos de artistas, estudantes, trabalhadores, indígenas e jovens para serem torturados e assassinados. Mentira criminosa.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias