Política

IMPEACHMENT DE WITZEL

Comissão da Alerj aprova parecer favorável a impeachment de Witzel

Nesta quinta-feira (17/09), os 24 deputados da comissão aprovaram por unanimidade o parecer, que deve ser votado no plenário na semana que vem.

sexta-feira 18 de setembro| Edição do dia

(Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)

O parecer deve receber o voto de dois terços dos deputados para ser aprovado no plenário da Assembleia Legislativa. Caso isso ocorra, o governador Wilson Witzel terá seu afastamento renovado por 180 dias, pois já está afastado por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ele é acusado de receber propina em contratos da saúde relacionados ao combate a pandemia de Covid-19.

Se o parecer for aprovado no plenário, será formada uma comissão mista, composta por cinco deputados e cinco desembargadores, que irá julgar o caso e poderá afastar definitivamente o governador.

Veja também: Por que a corrupção do governo Witzel não pode ser resolvida pelo autoritarismo do judiciário?

Este processo de impeachment ocorre no momento em que Witzel se afasta de Bolsonaro, enquanto este se fortalece no cenário nacional por causa do auxílio emergencial. Longe de ser um combate a corrupção ou uma defesa da saúde, é uma disputa entre dois setores da extrema-direita por seus próprios espaços de poder.

Saiba mais: O desprezível Witzel e o autoritarismo

Neste momento também ocorre uma ofensiva da Lava-Jato do Rio de Janeiro, comandada pelo juiz Marcelo Bretas, mais próximo de Bolsonaro, e que segue com mandados arbitrários de prisão e de busca e apreensão.




Tópicos relacionados

Wilson Witzel   /    Alerj   /    Operação Lava-Jato   /    Jair Bolsonaro   /    Impeachment   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar