×

RIO GRANDE DO NORTE | Com quase 1200 mortes por covid, Álvaro Dias (PSDB) quer manter Copa das Américas em Natal

Como se não bastasse a provocação que jovens e trabalhadores que saíram às ruas no dia 29 receberam de Bolsonaro e da Conmebol com o aceite da Copa das Américas em território nacional assolado pelas quase 500 mil mortes por covid, fome e desemprego, o prefeito de Natal-RN, Álvaro Dias (PSDB), se mostrou favorável à realização dos jogos.

quarta-feira 2 de junho | Edição do dia

A Prefeitura de Natal confirmou na terça (1) que é a favor da realização de jogos da Copa América na capital potiguar, como se bastasse o não envolvimento de recursos públicos no evento e que sejam cumpridos todos os protocolos de segurança sanitária previstos nos decretos municipais para esse tipo de evento, por causa da pandemia. A Arena das Dunas chegou a ser cogitada como uma das sedes para os jogos. A capital potiguar enfrenta a marca de quase 1200 mortes por covid e, em todo o estado do Rio Grande do Norte já são mais de 6000, segundo dados oficiais.

Com diálogo com a CBF sobre o assunto, a prefeitura informou que não recebeu nenhuma manifestação formal. E ainda considerou que a decisão final sobre o assunto caberia às entidades do futebol em negociação com a Arena das Dunas, em "uma relação entre entes privados", colocando a decisão nas mãos dos empresários, mais uma vez, como vimos durante toda a pandemia, com a abertura de shoppings, academias e igrejas.

A administração da Arenas das Dunas afirmou por meio de sua assessoria de imprensa que tudo depende de autorização do governo do estado para realizar os jogos, uma vez que o estádio é concedido por meio de uma uma parceria público-privada com o estado.

A governadora Fátima Bezerra (PT) já se manifestou que, por causa da pandemia da Covid-19, o estado não tem "segurança epidemiológica" para sediar jogos da Copa América. Nas redes sociais, afirmou que "apesar de sermos um dos Estados com estrutura física disponível, não temos hoje níveis de segurança epidemiológica para realização do evento no nosso estado".

Mais uma vez, a governadora, assim como o conjunto dos governadores, e a negativa à Conmebol de Paulo Câmara (PSB) no Pernambuco, mostra apenas seus fracassos demagógicos em combater a pandemia. Os governadores do nordeste em geral, assim como governadores tucanos como Doria em São Paulo, não hesitaram em abrir o comércio, academias e até mesmo escolas, não ofereceram nenhum auxilio digno nos momentos de restrição, e, mais do que isso, permitiram com que os trabalhadores seguissem saindo todos os dias para trabalhar em transportes lotados, e se aglomerando nos galpões e salas das fábricas e telemarketing.

A irracionalidade das medidas adotadas para supostamente conter a pandemia pelos governadores ficou escancarada, fracassando absolutamente em diminuir a transmissão e as mortes. Pernambuco, por exemplo, mesmo durante a quarentena restritiva, com comércio fechado, o estado registrou os primeiros recordes de mortes diárias de 2021. E assim que a flexibilização retornou as atividades, mais recordes de mortes, dessa vez maiores que as do ano passado, alcançando 83 mortes em um dia, mais que 3 mortes por hora, em abril.

Paulo Câmara (PSB) foi o governador que reprimiu, com sua Polícia Militar, as manifestações do 29M. E mesmo que ele alegue ter saído de seu controle e determinado a apuração das responsabilidades na repressão ao ato, a cúpula da segurança do governo estava monitorando passo a passo, com câmeras espalhadas pelo centro da cidade, a ação da PM. A repressão deixou duas pessoas sem visão de um olho, pelo menos quatro presos, dois presos com inquérito policial e uma brutal agressão à vereadora do PT.

Veja também: Secretários do governo do PSB/PCdoB monitoravam câmeras no momento da repressão em Recife

Ironicamente, a Conmebol tem sua sede no Paraguai, país em que a luta de classes reagiu à crise sanitária, o que Bolsonaro e qualquer político que faça parte ou queira integrar o regime político do golpe institucional de 2016 teme que chegue ao Brasil, da mesma forma que também é muito irônico que a Copa América tenha sido cancelada na Colômbia por causa dos protestos. Bolsonaro, Mourão, militares e golpistas temem que a luta de classes que aconteceu no Paraguai, que acontece na Colômbia, assim como a solidariedade e resistência ao povo palestino bombardeado pelo Estado assassino de Israel, contagiem os jovens e trabalhadores que saíram às ruas no último dia 29.

Até porque, em momentos como esse, de possibilidade de desenvolvimento da luta de classes no Brasil totalmente ligada à necessidade de nos apoiarmos nas lutas internacionais e dedicar toda nossa solidariedade à Palestina, não podemos nos esquecer que o prefeito Álvaro Dias afirmou: "É uma satisfação receber o embaixador de Israel aqui em nossa cidade, uma nação que tem uma força e uma importância histórica mundial, além de tecnologia avançada em vários setores. Temos todo o interesse em estreitar o relacionamento visando perspectivas futuras, pois Natal é uma cidade turística e queremos mostrá-la para outros países”. Assim como os representantes da ALRN, Câmara Municipal de Natal, UFRN e os dirigentes da patronal, na visita do embaixador israelense. Essa política de estreitamento das relações políticas e econômicas do RN e do Brasil com Israel significa reforçar o terrorismo de Estado contra os palestinos. Em encontro com o embaixador Israelense, também a governadora Fátima Bezerra chegou a declarar que: "Temos um desejo imenso de estreitar nossos laços com o querido povo de Israel".

Veja também: Bolsonaro e a Copa América: uma afronta aos colombianos e desprezo pelos mortos

Mais do que nunca, precisamos que os sindicatos e as entidades estudantis natalenses reajam a essa provocação pela continuidade da luta. Precisamos potencializar a força expressa nas mobilizações do dia 29 para que esse seja só o estopim da luta organizada contra o governo negacionista e assassino de Bolsonaro, Mourão e militares que nos atacam em benefício do lucro dos empresários. Para isso é fundamental que essa força retorne para cada local de trabalho e estudo para que os rumos da mobilização sejam definidos em assembleias de base, com a mais ampla democracia e discussão política. É esse o chamado que fazemos às centrais sindicais, CUT e CTB, dirigidas pelo PT e pelo PCdoB, que estão em sindicatos de trabalhadores como rodoviários, bancários, correios, no RN, para que abandonem sua paralisia e divisionismo com o movimento estudantil, que escancara o quanto estão a serviço de conter a mobilização para que não atrapalhe as eleições de Lula em 2022. E também chamamos a que organizações de esquerda que estão na gestão de sindicatos e de Diretórios Centrais de Estudantes, Grêmios, da UFRN, do IFRN, da UERN, da UFERSA, a incorporar essa exigência para que possamos dar essa batalha inclusive com a direção majoritária da União Nacional dos Estudantes (UNE), da UJS (juventude do PCdoB), juventude do PT, Kizomba e Levante Popular da Juventude, com assembleias verdadeiramente democráticas em que todos os estudantes tenham direito a voz e voto. Temos que apostar em nossas próprias forças para combater desde Álvaro Dias, a Bolsonaro, Mourão e militares que descarregam a crise em nossas costas.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias