Sociedade

SUPERVIA RJ

Com o lucro à frente das vidas, Supervia anuncia redução de viagens de trens no RJ

Não é de hoje que a ganância de empresários do transporte coloca a vida de milhares de pessoas em risco com a superlotação dos trens, uma frota com mais de 30% dos trens com mais de 30 anos e diversos acidentes. Agora alegam prejuízo e querem diminuir viagens.

segunda-feira 2 de novembro| Edição do dia

A Supervia no RJ, hoje sob controle acionário da Guarana Urban Mobility Incorporated (GUMI) uma empresa do conglomerado japonês Mitsui, já foi denunciada diversas vezes pelos péssimos serviços prestados sem contar os acidentes como os sucessivos descarrilamentos que já ceifaram a vida de maquinistas e passageiros.

Um dos transportes considerados dos mais seguros do mundo tem uma exceção no Rio de Janeiro onde estima-se que a cada dois meses ocorre um descarrilamento de trem. O descaso com a manutenção, renovação de frota e superlotação dos trens fez o lucro bilionário das concessionarias durante décadas. Que agora, sob controle da Mitsui, alega que deixou de ganhar 247 milhões por causa da diminuição do fluxo durante a pandemia e por isso diminuirá o número de trens rodando. Isso aumentará ainda mais o risco de contaminação pelo novo coronavírus dentro dos trens.


Foto: Sérgio Moraes/REUTERS

Sem esses lucros absurdos dos empresários do transporte que se revezam recebendo concessões do Estado para explorar o deslocamento precário dos trabalhadores pelas cidades do Rio de Janeiro seria possível um transporte muito mais seguro e de qualidade e muito mais barato. Por isso nós do Esquerda Diário e do MRT defendemos a auto organização dos trabalhadores do transporte para lutar pela estatização de todos os transportes públicos sob controle e administração dos trabalhadores e usuários.




Tópicos relacionados

Crise capitalista   /    Precarização do Transporte Público   /    precarização   /    Que os capitalistas paguem pela crise!   /    Monopólios Capitalistas   /    Sociedade   /    Economia   /    Política

Comentários

Comentar