Sociedade

FALTA D'ÁGUA

Com falta de chuva no estado de SP pior que em 2014 cidades do interior já racionam água

O registro de precipitação no estado de São Paulo entre outubro de 2019 e setembro de 2020 foi pior que o registrado em 2014, quando se iniciou uma crise hídrica. Algumas represas do estado já apresentam níveis críticos e, em meio a uma pandemia, várias cidades do interior começam a racionar a distribuição de água.

quinta-feira 8 de outubro| Edição do dia

Foto: Bruno Santos/ Folhapress

Segundo dados da Sabesp a precipitação registrada no último ano hidrológico, que se iniciou em outubro do ano passado e se encerrou em setembro deste ano, foi de apenas 1.164 milímetros. Este valor é 21,1% abaixo da média histórica e pior do que o registrado em 2014, quando se iniciou uma crise hídrica no estado. Desde então, somente no ano de 2018 foi registrado menos chuvas do que em 2020.

Sem chuvas fortes a quase cinco meses, um dos reflexos está sendo a redução dos níveis das represas no estado, que estão em situação crítica em Sorocaba, Bauru e Votuporanga. Diversas cidades também já estão racionando a distribuição de água, como Bauru, São José do Rio Preto, Uchoa, Tabapuã e Santo Antônio da Posse. Evidentemente sáo os bairros mais pobres a sofrerem com a falta d’água.

Ao mesmo tempo que com temperaturas recordes, ultrapassando os 40° em algumas cidades, a necessidade de consumo de água pela população também se eleva. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) este é o ano mais quente desde 1961, quando as medições se iniciaram.

Apesar de o estado já ter passado por uma crise hídrica em 2014, que teve seu fim decretado em 2015 pelo então governador, Geraldo Alckmin (PSDB), e de em 2018 essa situação voltar a afligir a população, agora, novamente volta-se a sofrer com falta d’água e racionamento no estado de São Paulo. Porém, em uma situação de crise sanitária, onde é extremamente importante o acesso a água como parte de manter os cuidados e proteção contra a contaminação da COVID-19.

Isso é reflexo da falta de investimentos em saneamento básico e total despreparo para possíveis períodos com baixa intensidade de chuvas por parte do governo estadual. Ao passo que não faltaram escândalos de corrupção, desvios de verbas e ataques aos trabalhadores nos mais de vinte e cinco anos de governos do PSDB.




Tópicos relacionados

Crise hídrica   /    PSDB   /    Sociedade   /    São Paulo   /    Falta d’água   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar