Sociedade

PANDEMIA

Com 3 mil mortes diárias, Brasil vive um “11 de setembro” por dia

O Brasil chegou a 3 mil mortes diárias pela covid-19, atingindo todos os dias a mesma quantidade de vidas perdidas no histórico atentado de 11 de setembro de 2001.

quinta-feira 18 de março| Edição do dia

Fotos: Reprodução e Nelson Almeida/AFP

Em 11 de setembro de 2001 ocorreu o atentado aos Estados Unidos, coordenado pela organização fundamentalista islâmica al-Qaeda. Quatro aviões foram sequestrados por 19 fundamentalistas, sendo que dois atingiram o World Trade Center em Nova York - as conhecidas Torres Gêmeas -, um foi lançado no Pentágono, em Washington, e o quarto avião acabou caindo em um campo. Foram 2996 vidas que se perderam em um único dia, que ficou marcado na história não apenas por ter sido um ataque, mas também pelas quase 3 mil vidas que foram perdidas ali.

Voltando ao presente, hoje a crise sanitária que atravessa o Brasil com a pandemia da covid-19 está em seu pior momento. No total, já se perderam cerca de 285 mil vidas ao longo de um ano, sendo que nesta semana o país ultrapassou a marca de 3 mil mortes diárias e a média móvel de mortes já passa de 2 mil.

Isso significa que o Brasil já reproduziu 95 “onzes de setembro” no intervalo de um ano, sendo que nesta semana está vivendo o correspondente a um atentado por dia, ou seja, no país está morrendo diariamente a mesma quantidade de pessoas que morreram no 11 de setembro norte-americano.

Veja também: 3 mil mortos por dia: o que as centrais estão esperando para armar a mobilização do dia 24?

Há ainda uma enorme subnotificação das mortes, de pessoas que não chegaram a fazer o teste e suas mortes oficiais foram declaradas por outros motivos. Isso leva à grande possibilidade de que, na realidade, o Brasil vivia um atentado por dia poucos meses atrás, sendo que hoje isso já foi superado e perde-se mais vidas diariamente do que se perdeu no 11 de setembro.

O Brasil vive uma situação cada vez mais dramática, passando pelo maior colapso sanitário da história, além do aprofundamento da crise econômica e social, com altas taxas de desemprego e a fome se alastrando pelo país e ameaçando tirar ainda mais vidas diariamente. O descaso e a negligência do governo negacionista de Bolsonaro e dos demagogos governadores, que nada fizeram para dar uma resposta consistente à pandemia que priorizasse a vida da população, são responsáveis por essa triste e assombrosa marca que o país atinge.

Saiba mais: Brasil agoniza nas UTIs lotadas e pela fome: a resposta não é esperar 2022




Tópicos relacionados

MORTES COVID-19   /    COVID-19   /    Pandemia   /    atentado   /    Sociedade

Comentários

Comentar