Sociedade

Cocaína no avião da FAB: Investigações da PF associam sargento a tráfico "de forma estável e permanente"

Quinta Coluna, operação da PF, cumpre 15 mandados de busca contra organização criminosa por trás dos misteriosos 39 quilos de cocaína no avião da FAB.

terça-feira 2 de fevereiro| Edição do dia

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira, 2, a Operação Quinta Coluna para aprofundar as investigações sobre uma associação criminosa que se utilizou de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) para enviar drogas para a Espanha. As apurações miram ainda na lavagem de ativos obtidos em razão dos crimes.

Segundo a corporação, as investigações revelaram que outras pessoas se associaram ao sargento Manoel Silva Rodrigues - detido em 2019 na Espanha com 39 quilos de cocaína quando viajava como parte da tripulação de apoio do presidente Jair Bolsonaro - "de forma estável e permanente, para a prática do crime de tráfico ilícito de drogas, tendo sido apresentado à Justiça elementos que indicam pelo menos mais uma remessa de entorpecente para Espanha".

Agentes cumprem 15 mandados de busca e apreensão e duas ordens de restrição de comunicação e saída do Distrito Federal. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal do Distrito Federal, que ainda determinou o sequestro de imóveis e veículos dos investigados.

Além de investigar os outros supostos integrantes do grupo criminoso, a PF mira em crimes de lavagem de dinheiro, sendo que as investigações apontaram "diversas estratégias do grupo para ocultar os bens provenientes do tráfico de entorpecentes, especialmente a aquisição de veículos e imóveis com pagamentos de altos valores em espécie".

A PF frisou que as investigações não se confundem com os processos por tráfico internacional de drogas que tramitam perante a Justiça Militar.

Com informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

FAB   /    Sociedade

Comentários

Comentar