Cultura

TEATRO

Cia. Los Puercos traz temporada de "Caecus - um documento cênico"

Caecus, do latim cegos, é o último espetáculo da Cia. Los Puercos. Desta vez tendo como base o teatro documentário, devido ao período conturbado de nosso país. Tomando como partida quatro assuntos latentes e atuais trazidos pelos próprios intérpretes, que são: a violência contra a mulher, a ditadura civil-militar, a luta anti-manicomial e a homofobia. O espetáculo apresenta quatro cenas independentes, mas que, dentro da trama se costuram e dialogam com o momento presente.

quarta-feira 6 de março| Edição do dia

FOTOS: Iara Marcek

Após a circulação do espetáculo "A Oração", que obteve o apoio do próprio dramaturgo espanhol Fernando Arrabal, a Cia. Los Puercos circula desde então, com seu espetáculo mais recente chamado ’Caecus - um documento cênico’, estreado no inicio de 2018 no Teatro de Contêiner. O espetáculo é a transformação de fatos e relatos reais em cena. Em sua trajetória, o espetáculo vem arrebatando impacto por onde passa, pela força e atualidade do seu conteúdo. Partindo de alguns temas centrais, a companhia decidiu documentar cenicamente essas situações reais, cotidianas e históricas, de um Brasil que parece estar estagnado, cego, homofóbico, machista, torturador e acostumado a certos golpes políticos, sociais e institucionais. "Caecus: um documento cênico" é um espetáculo a refletir um passado revisitado e um presente temeroso.

A peça teatral traz a tona discussões polêmicas e silenciadas em nosso país. É um grito de luta e resistência, dando voz aos que muitas vezes são espremidas por uma sociedade em grande retrocesso.

HISTÓRIA E CURRÍCULO do grupo

Completando o seu quarto ano de existência, sempre com espetáculos políticos e provocadores, a Cia. Los Puercos foi criada inicialmente por ex-integrantes de um curso livre da região da zona leste da cidade de São Paulo. De caráter profissional, nesse mesmo período criaram o solo "A Descoberta", selecionado em três festivais no Brasil, sendo indicado à quatro premiações; e a peça "As mulheres do guarda-chuva perdidas numa noite suja", apresentada apenas na cidade de São Paulo, o seu penúltimo trabalho foi o espetáculo "A Oração" de Fernando Arrabal, no qual obtiveram certa repercussão pelo fato de que o próprio autor (Arrabal), ter se tornado parceiro da companhia, apoiando na montagem, e que esteve em cartaz durante o ano de 2017 em diversos locais, tais como: Oficina Cultural Oswald de Andrade, Teatro Municipal de Araxá/MG, Teatro Guarany/Santos-SP e no Circuito de Teatro em Português/Teatro Sérgio Cardoso.
No mês de março de 2018 estreiam o seu trabalho mais recente “Caecus: um documento cênico” cuja criação do texto foi coletiva, partindo de relatos reais, e ficando em cartaz no Teatro de Contêiner, sede da Cia. Mungunzá até o mês de abril daquele ano. Após foi Convidado por colégios particulares, escolas de teatro, festivais, e conquistando indicações e premiações, o espetáculo vem realizando muitas apresentações. Recebeu criticas positivas, como a de José Cetra do prêmio APCA da cidade de São Paulo.

Notas do diretor (Luiz Campos):

Quando estávamos no processo do Caecus, queria um espetáculo forte e que esfregaria na cara do espectador, verdades que muitas vezes queremos omitir. Porém o que tivemos foi um espetáculo além do que poderíamos imaginar, com pessoas saindo do espetáculo provocadas, remoídas e emocionadas. É um espetáculo que grande parte das pessoas deveriam procurar assistir, principalmente por aquelas que não estão acostumadas a pensar diante de uma obra.

Ficha técnica completa:

Direção: Luiz Campos

Assistência de direção: Eluane Fagundes

Texto: Josemir Medeiros e Cia. Los Puercos

Elenco: Eluane Fagundes, Giovanna Marcomini, e Nathalia Nigro

Iluminação: Juliana Sousa

Sonoplastia: Gustavo Metzker

Composição musical: Maria Inês Dias

Cenário e figurino: Eluane Fagundes

Boneco: Dalmir Rogério e Jessica Dibi

Orientador de manipulação: Joaz Campos

Preparação vocal: Arthur Medeiros

Operação de luz: Marcos Junior Valadão / Felipe Lima

Projeção: Jessica Faria

Operação de som: Gustavo Metzker

Contrarregra: Jessica Faria

Fotografia: Iara Marcek, Pamela Santos, Marina Farhat, Bruna Quevedo e Claudio Vitor Vaz

Produção: Cia. Los Puercos




Tópicos relacionados

Teatro   /    São Paulo   /    Agenda Cultural   /    Cultura

Comentários

Comentar