Chuvas afetam a vida de milhares de pessoas pelo Brasil

As chuvas de verão, já conhecidas por diversas tragédias em nosso país, estão causando sérios estragos em MG, RJ, ES e CE.

sexta-feira 31 de janeiro de 2020| Edição do dia

Nesta sexta-feira, as chuvas atingiram o Ceará, alagando ruas e deixando carros submersos, o aeroporto de Fortaleza teve seu terminal completamente alagado nesse dia 31/01. Em todo o país mortos e desabrigados vão sendo somados em meio ao descaso dos governos em todos esses Estados.

Ano após ano o povo trabalhador sofre com enchentes e deslizamentos, quando não pagam com o prejuízo de perder todos seus pertences com as águas que invadem as ruas, pagam com a própria vida, morrendo soterrados ou afogados. Cidades mal planejadas, rios cobertos por asfalto e a absurda falta de saneamento básico, são as receitas já conhecidas por todas esferas govermamentais para os desastres ocorrerem.

Mesmo cientes de toda essa tragédia anunciada, pouca coisa é feita para evitar as perdas e mortes. Prefeituras, Governos Estaduais e o Governo Federal, pouco investem em moradias e saneamento básico. No Brasil quase metade da população não tem acesso a esgoto encanado.

O planejamento urbano entregue aos interresses dos donos de construtoras, não preveligiam o desenvolvimento sustentável das cidades, mas sim o lucro dos empreendimentos coorporativos, deixando a maioria da população de fora desse planejamento,sem acesso a esgoto, água encanada e moradia regularizada fora de áreas de risco.

É uma bola de neve, onde o pouco orçamento destinado ao saneamento básico e o desenvolvomento urbano das cidades, serve para privilegiar o capital privado, sendo usado para os interresses empresárias e não públicos.

A falta de orçamento para áreas essenciais como saúde, educação e moradia é o reflexo do exorbitante pagamento da dívida pública, pagos religiosamente por todos os governos sem questionamentos, uma parcela robusta do PIB nacional é destinada a banqueiros e especuladores, enquanto o orçamento para as demandas essências do povo são negligenciadas e insuficientes.

É necessário o fim do pagamento da dívida pública. Precisamos usar todos nossos recursos para cuidar do nosso povo. Os recursos vindo dos impostos devem servir a população e não a um punhado de capitalistas. Para suprir a necessidade de saneamento básico e garantir um planejamento sustentável das cidades, os trabalhadores devem controlar as empresas de saneamento e as construtoras de forma democrática, é urgente um plano de obras públicas gestado pelos trabalhadores e usuários dos serviços.




Tópicos relacionados

Enchentes

Comentários

Comentar