Internacional

REPRESSÃO

Christian Castillo: “O Governo Férnandez ataca os pobres para que a direita comemore”

O dirigente do PTS, organização do MRT na Argentina, na Frente de Esquerda-Unidade, manteve um debate acalorado com os jornalistas da rede argentina Crónica TV, que atacaram a esquerda e festejaram a repressão em Guernica. Veja a intervenção na íntegra.

sexta-feira 30 de outubro| Edição do dia

Christian Castillo se enfrentou com os jornalistas da rede Crónica TV que, na manhã de ontem (29), atacaram os movimentos de esquerda que acompanhavam as famílias violentamente reprimidas pela polícia bonaerense na ocupação de Guernica, criminalizaram os que lutam por moradia e festejaram a repressão estatal.

No começo da entrevista, Castillo desmentiu o discurso do Governo de que nos terrenos de Guernica “havia poucas famílias”. Foi categórico na afirmação de que os organismos de direitos humanos Cels e Serpaj contabilizaram 1450 pessoas dentro da ocupação.

Declarou, também, que as empresas que reivindicam essa área apresentam fracas documentações e “não mostraram títulos de propriedade”.

Depois, respondendo ao argumento de que a repressão teria sido “ordenada pelo fiscal”, Castillo afirmou que havia crianças na ocupação, o que bastaria como uma clara justificativa para evitar a repressão.

Por sua vez, defendeu as famílias de Guernica, acusadas pelos jornalistas de “delinquentes e usurpadores”, escancarando o que é claro para qualquer um que queira ver: são famílias que apenas pedem por um terreno para viver. “Se lhes houvessem garantido terras, o conflito teria se encerrado”, afirmou categoricamente.

Para o dirigente de esquerda, a repressão vista ontem foi um recado do Governo para os ricos, para provar sua defesa da propriedade privada. “Atacaram os pobres para que a direita comemore. Para que festejem (Patricia) Bullrich [ex ministra de Segurança do governo Macri] e (Miguel Ángel) Pichetto [ministro do Partido Justicialista argentino]”.

Confira o vídeo abaixo




Tópicos relacionados

Guernica   /    Repressão   /    Violência policial   /    Internacional

Comentários

Comentar