×

Cerca de 40 mil crianças ficaram órfãs de um dos pais nos EUA devido a covid-19

Quase 40 mil crianças perderam um dos pais para a covid-19 nos Estados Unidos desde de fevereiro de 2020, aponta o Instituto de Ciências Computacional e de Dados da Universidade Estadual da Pensilvânia. No modelo elaborado pelos pesquisadores, para cada 13 mortes por covid nos EUA, uma é de um pai ou mãe de uma criança ou adolescente menor de 18 anos, o que corresponde, fazendo um paralelo histórico, a 13 vezes a quantidade de crianças que perdeu um dos pais no 11 de setembro de 2001.

sexta-feira 16 de abril | Edição do dia

Quase 40 mil crianças perderam um dos pais para a covid-19 nos Estados Unidos desde de fevereiro de 2020, aponta o Instituto de Ciências Computacional e de Dados da Universidade Estadual da Pensilvânia. No modelo elaborado pelos pesquisadores, para cada 13 mortes por covid nos EUA, uma é de um pai ou mãe de uma criança ou adolescente menor de 18 anos, o que corresponde, fazendo um paralelo histórico, a 13 vezes a quantidade de crianças que perdeu um dos pais no 11 de setembro de 2001.

Os pesquisadores destacam também estudos anteriores comprovando que crianças as quais perdem um dos pais correm maior risco com relação a problemas como a baixa escolaridade, depressão, insegurança econômica, morte acidental ou suicídio. Os traumas e desafios dessas crianças enlutadas são únicos e, se não recebem nenhuma atenção, são mais profundos em crianças em situação de vulnerabilidade, ou seja, agravam-se na classe trabalhadora e famílias mais pobres. Os efeitos da pandemia, com o isolamento social, ausência de aulas presenciais e o aprofundar da crise econômica, geram maiores dificuldades para que as crianças e adolescentes tenham acesso às redes de apoio voltadas aos seus lutos.

A realidade caótica vivida nos EUA em meio à pandemia é responsabilidade direta do governo Trump, que esteve no poder durante o ano passado, e também de Joe Biden, que assumiu a gestão do coração do imperialismo em janeiro de 2021. Trump foi o grande negacionista que atuou disseminando fake news, contra as medidas que poderiam minimizar os efeitos da pandemia e salvar diversas vidas, evitando que tantas crianças ficassem órfãs. Vale lembrar que el foi responsável por enjaular crianças imigrantes na fronteira, situação essa que não melhorou com Biden, que segue as mantendo aglomeradas em verdadeiros campos de concentração.

Veja também: Biden, o suposto “mal menor” e as crianças nas fronteiras

É urgente que hajam medidas por parte do governo, como o desenvolvimento de programas sociais, que possam oferecer suporte que estas crianças e famílias, principalmente para aqueles que estão em situação de vulnerabilidade. Porém esse não é o interesse do governo, como já apontamos. Um verdadeiro acolhimento só será possível se for pensado e organizado a partir da força da classe trabalhadora, das mulheres e negras e negros, que protagonizaram as maiores manifestações ano passado, com a retomada do movimento Black Lives Matter. Somente esses setores poderiam criar, a partir das escolas e suas comunidades, por exemplo, comitês de emergência sanitária e redes de apoio que auxiliassem esses órfãos diante dos enormes desafios que enfrentarão.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias