×

CENTENÁRIO PAULO FREIRE | Centro Acadêmico da FEUSP chama mesa sobre o legado de Paulo Freire no Brasil de Bolsonaro

Neste ano de 2021, será comemorado o centenário do educador Paulo Freire, uma figura com enorme projeção no campo da educação, sendo um dos autores mais lidos do mundo. Por isso, o Centro Acadêmico Professor Paulo Freire, da Faculdade de Educação da USP, cuja a gestão é impulsionada pela juventude faísca e por setores independentes, irá promover a live 100 anos de Paulo Freire: da ditadura ao Brasil de Bolsonaro, nesta quinta-feira, dia 3, às 18h.

terça-feira 1º de junho | Edição do dia

O principal objetivo da atividade é debater o legado de Paulo Freire, cuja carreira foi profundamente marcada por sua atuação e pensamento políticos. O educador participou do planejamento e execução de diversos planos educacionais e de alfabetização, sempre com o intuito de transformar uma realidade insuportavelmente desigual, injusta e opressora para a vida de milhões de trabalhadores, camponeses, diaristas, indígenas e mulheres.

Além de ter sido preso durante o período da ditadura, sua herança teórica e sua figura como educador popular ainda é perseguida nas escolas pelos setores conservadores, defensores do projeto do “Escola Sem Partido”, que dizem ser a favor uma educação neutra, porém aplicando um ensino que está a serviço de seus interesses, ou seja, de formar uma classe trabalhadora acrítica e obediente, que trabalhe para gerar lucro aos grandes empresários.

Assim, defensor de uma pedagogia crítica, que ultrapasse as barreiras da relação de “educador-educando”, em busca de uma educação libertária, que preze pelo diálogo e que rompa com os papéis de oprimido e opressor, Paulo Freire ameaça o projeto neoliberal de precarização e sucateamento da educação, inspirando os educadores de hoje a lutarem contra todos os ataques promovidos pelo governo Bolsonaro, como vimos nos atos do dia 29, em que, inclusive, o CAPPF esteve presente em defesa da educação, ao lado dos professores em greve e contra o sistema de miséria imposto por esse governo reacionário, que obriga professores a se exporem ao vírus através do retorno inseguro às aulas presenciais e corta bilhões do orçamento das universidades federais.

Tudo isso mostra que é mais do que urgente a organização e mobilização dos estudantes e trabalhadores não só do curso de Pedagogia, mas de todos os setores, que precisam se unir para impedir que esse cenário de ataques à educação e à universidade siga acontecendo, pois ameaça o futuro de toda a juventude e da classe trabalhadora, que merecem uma educação pública de qualidade sem filtros como o vestibular que impede que a classe trabalhadora possa se apropriar do conhecimento produzido na universidade. Para isso, não há saída institucional possível, somente a força da população organizada em cada local de trabalho e estudo é capaz de indicar uma saída de enfrentamento contra esse regime apodrecido que nos deixa morrer sem direito aos elementos mais básicos como saúde e educação.

Como parte dessa ideia, a gestão Pra Poder Contra-Atacar convida a todos e todas para a mesa 100 anos de Paulo Freire: da ditadura ao Brasil de Bolsonaro, nesta quinta-feira, dia 3, às 18h, que contará com a participação de Maurilane Biccas (FE - USP), Carlos Rodrigues Brandão (IFCH - UNICAMP), Caio Antunes (UFG) e Fabiana Rodrigues (FE - UNICAMP), junto à intervenção das professoras grevistas.

Confere e confirme presença no link do evento no Facebook.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias