Gênero e sexualidade

JUSTIÇA PARA MARI FERRER

Caso Mari Ferrer: centenas protestam em frente ao STF em Brasília por justiça

Na noite de ontem, 04/11, centenas de mulheres, homens, jovens e trabalhadoras protestaram em frente ao STF para denunciar o machismo e o autoritarismo do judiciário. A próxima manifestação está marcada para sábado, às 15h, no mesmo local.

quinta-feira 5 de novembro| Edição do dia

Sob os gritos de "não existe estupro culposo", "sem justiça, sem paz", "ele não", "fora Bolsonaro e Mourão", "a culpa não era minha, nem onde estava, nem como me vestia", as mulheres carregaram velas para lembrar as mulheres mortas por feminicídios. O protesto se reuniu às 19h e seguiu até próximo das 22h.

É bastante simbólico que tenha acontecido em frente ao STF, órgão supremo da justiça brasileira, que de justa não tem nada quando se trata das mulheres, dos setores oprimidos e de todos os trabalhadores. Esse mesmo STF que segue sem legalizar o aborto, encarcerando a juventude negra, proibidio direito de manifestação como no caso de Carol Solberg, e agente do golpe institucional que levou Bolsonaro ao poder, é a cabeça dessa justiça que atua recorrentemente contra as mulheres, negros, trabalhadores, indígenas e lgbts.

Não podemos ter qualquer ilusão de que qualquer justiça virá daí, como tentam nos iludir a reacionária Damares Alves e Gilmar Mendes, com suas declarações hipócritas sobre o caso de Mari, apenas a força da manifestação nas ruas pode impor justiça para Mari Ferrer, sim, ela terá que ser imposta por nós. Além disso, para acabar com a violência às mulheres, é preciso enfrentar não apenas a justiça capitalista, mas o conjunto desse sistema que é a base que hoje sustenta o patriarcado.

O patriarcado não será derrotado sozinho, teremos que derrubá-lo junto com o capitalismo, e nós somos parte das jovens, adultas e senhoras que não vão abaixar a cabeça para nada. Chamamos todas e todos a lutarem junto com o Pão e Rosas no próximo sábado às 15h, na Praça dos Três Poderes, em todo o país, para impor justiça por Mari Ferrer e contra o autoritarismo machista do Judiciário!




Tópicos relacionados

Mari Ferrer   /    Caso Mari Ferrer   /    Estupro   /    STF   /    Brasília   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar