Gênero e sexualidade

TRANSFOBIA

Carlos Bolsonaro tenta proibir o uso de linguagem de gênero neutro nas escolas

Vereador apresenta projeto reacionário que visa abolir essa linguagem nas escolas do Rio de Janeiro

sábado 5 de dezembro de 2020| Edição do dia

IMAGEM: Renan Olaz / CMRJ/Divulgação

Nessa semana, o reacionário vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) apresentou um projeto que visa proibir referências à linguagem neutra nas escolas da cidade do Rio de Janeiro.

A proposta apresentada proíbe o uso de diversas expressões que estariam por dentro da linguagem do gênero neutro, como “todes” e “todxs”, ou qualquer outra definição que evite a definição de gênero apenas entre masculino e feminino. É importante ressaltar que esse tipo de expressão surge enquanto uma alternativa que não vise excluir pessoas transgêneras ou que não se identifiquem com algum gênero.

O projeto também aponta advertência e suspensão do alvará de funcionamento em caso de não cumprimento do mesmo. O projeto tenta se justificar dizendo que tal linguagem serve “para atender pautas imaginárias e na contramão da ciência biológica”.

Tal consideração, além de discriminatória, também é extremamente hipócrita pois justamente Bolsonaro e seu clã que seguem contrapondo a ciência através de sua política negacionista que foi responsável pelo alastramento da crise sanitária, ou mesmo através de nomeações de membros em órgãos públicos que defendem o “terraplanismo”.

No país onde se matam mais transexuaise que registra índices altíssimos de violência a comunidade LGBT, tal postura é extremamente repulsiva. Basta de discriminação e perseguição a comunidade LGBT!




Tópicos relacionados

LGBTfobia   /    Carlos Bolsonaro    /    Educação   /    Homofobia e Transfobia   /    Rio de Janeiro   /    LGBT   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar