×

PRIVATIZAÇÃO DA CEDAE | Cacau: “Leilão ilegal da CEDAE unificou STF, Bolsonaro e Castro contra os trabalhadores”

Reproduzimos abaixo a declaração de Carolina Cacau, professora da rede estadual em Nova Iguaçu-RJ, do Esquerda Diário e dirigente do MRT, sobre o leilão de privatização da CEDAE que ocorreu ontem na Bolsa de Valores, em São Paulo.

sábado 1º de maio | Edição do dia

Imagem: Juan Chirioca

“Os atores do regime fruto de um golpe em 2016, a globo, o STF, Bolsonaro e Castro se unificaram em torno do leilão da CEDAE para saciar os interesses do capital financeiro, descontar a crise nas costas da população e transformar nossa água em mercadoria. Essa privatização se dá justamente no momento em que a pandemia é mais aguda, que as pessoas precisam mais desse bem essencial, o que torna ainda mais criminoso esse ataque contra todo o povo carioca. Como colocou um trabalhador da empresa: "Um empresário não vai ter compromisso de colocar água dentro da comunidade".

Desde 2017 os serviços da CEDAE só pioraram, veio a geosmina e falta d’água para diversos bairros, tudo culpa da privatização. Eles precarizaram ao extremo os serviços da empresa, aumentando os lucros, para torná-la uma vitrine para os capitalistas. Foi nesse ano e em 2018 que a empresa teve os seus menores investimentos per capita desde 2001 e lucros astronômicos, que chegam a 1 bi de reais. A ganância capitalista é o que tornou nossa água podre e a empresa privada aprofundará essa perspectiva, já com uma CEDAE gerida pelos trabalhadores nunca haveria geosmina. O símbolo da sede de lucro que abandona os mais pobres foi nesse leilão o bloco 3, que engloba os bairros da zona oeste, ter sido “abandonado” pela iniciativa privada sem nenhuma oferta.

Leia Mais: Problema da água no Rio foi sabotagem dos governos para privatizar a CEDAE

Esse crime contra os cariocas que é a privatização mostra que mesmo existindo diferenças pontuais entre Bolsonaro e STF na forma de governar, para atacar a todo o povo com a privatização e priorizar os lucros existe um acordo evidente e muito bem orquestrado. Fux autorizou o leilão, Castro passou ilegalmente por cima da categoria que se mobilizou para lutar e até mesmo da Alerj que votou o adiamento da votação e depois o presidente Bolsonaro foi até a bolsa referendar o teatro junto a Paulo Guedes. Uma verdadeira fraude jurídica compartilhada pelos governantes que se unificam quando se trata de saciar o capital financeiro.

Não confiamos que vai ser a ALERJ, ou o judiciário que vai reverter a privatização ou garantir os empregos de milhares de cedaeanos. Os trabalhadores só podem confiar em suas forças e agora é fundamental a organização em cada unidade, exigir assembleia para que os cedaeanos possam votar um plano de luta e pensar ações unitárias da categoria em aliança com o povo trabalhador para enfrentar esse imenso ataque aprovado ontem. O cedaeanos quando se movem ganham apoio do povo carioca, como também se viu ontem nas ruas e nas redes sociais, pois a água é um bem público de todo o povo, a luta deles é de todos nós. É um sinal do potencial para se apoiar nisso e desenvolver sua organização, coordenar com outros setores em luta, como as trabalhadoras da LG que vem dando exemplos em sua forte greve contra as demissões em Taubaté. As centrais sindicais como a CUT e CTB precisam parar sua paralisia e unificar todos setores que lutam nesse momento contra o desemprego, e categorias que estão ameaçadas com as futuras privatizações.

Nós do Esquerda Diário seguiremos apoiando ativamente a luta contra a privatização assim como estivemos esses 4 anos e estamos a disposição para seguir nessa batalha para divulgar e chegar em milhares de trabalhadores".

Leia Mais na seção CEDAE do Esquerda Diário




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias