×

Interventores nas federais | CONSUN da UFRGS encaminha pedido de destituição dos interventores Bulhões e Pranke ao MEC

Com 59 de votos favoráveis, 7 votos contrários e 5 abstenções o Conselho Universitário (CONSUN) da UFRGS, aprovou hoje (13) o pedido de destituição da reitoria interventora de Carlos Bulhões e Patrícia Pranke. O pedido agora será enviado ao MEC.

sexta-feira 13 de agosto | Edição do dia

A recomendação pela indicação ao Ministério da Educação pela abertura de processo destituinte contra os interventores Bulhões e Pranke havia sido aprovada no parecer 080/2021, em reunião do Conselho Universitário da UFRGS. Tal recomendação foi aprovada junto de um pedido para que o Ministério Público Federal para que esse investigue os efeitos do descumprimento de Bulhões da resolução nº 062/2021, que indica a não aprovação da proposta de Reestruturação Administrativa enviada pela Reitoria, estabelecendo um prazo de 30 dias para o seu cumprimento, retomando a estrutura anterior.

Assim, todas as mudanças autoritárias realizadas pela reitoria, de fusão, criação e extinção de pró-reitorias e de alteração em outros órgãos administrativos da universidade deveriam ser encerradas no dia 13 de abril. Porém Bulhões descumpriu a resolução de maneira completamente autoritária, o que causou um choque direto entre o interventor bolsonarista e a burocracia acadêmica.

LEIA MAIS EM: Interventor de Bolsonaro na UFRGS atropela o Consun e mantém reestruturação administrativa

Também havia sido aprovada a instauração de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) contra Bulhões, destinado a apurar a eventual “responsabilidade de servidor por infração praticada no exercício de suas atribuições, ou que tenha relação com as atribuições do cargo em que se encontre investido” em relação ao descumprimento da resolução de nº 062/2021 e demais atos e omissões da gestão.

Daqueles que votaram contra, usaram da falsa argumentação de que o processo poderia ser invalidado e injusto já que o reitor não teve o direito de defesa. Agora, o pedido da destituição será encaminhado ao MEC de Milton Ribeiro, o mesmo que disse que as nossas universidades deveriam ser reservadas à elite, onde será julgado se cabe ou não destituir Bulhões e Pranke. O pedido será acompanhado por comissão especial paritária que será decidida em próxima votação.

LEIA TAMBÉM: Contra o interventor Bulhões na UFRGS: lutemos por uma estatuinte livre e soberana!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias