Sociedade

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Brasil tem novos bilionários, mas maioria dos assistidos pelo auxílio vão receber só R$150

Dados do Ministério da Cidadania mostram que 19,9 milhões de famílias, 43,6% do total de beneficiados, terão direito apenas ao piso do benefício, que começou a ser pago na última terça-feira.

quarta-feira 7 de abril| Edição do dia

Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A maior parte do público alvo do auxílio emergencial vai receber o menor valor do benefício, que é de R$ 150 mensais, informou o Ministério da Cidadania ao Estadão. Serão cerca de 20 milhões de famílias – 43% do total de contemplados estimado na nova rodada – na categoria “unipessoal”, composta por apenas uma única pessoa. Outras 16,7 milhões de famílias têm mais de um integrante e vão receber R$ 250. Já a maior cota, de R$ 375, deve ser paga a cerca de 9,3 milhões de mulheres que são as únicas provedoras de suas famílias.

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmaram que o valor do auxílio seria de, em média, 250 reais — muito menos do que os R$ 600 pagos no início de 2020. Contudo, atualmente vemos uma mudança: a cota mínima sofreu mais uma redução, caindo para R$ 150 — valor que, em São Paulo, compra apenas 23% da cesta básica. Esse novo valor reduzido significa que milhões de pessoas terão R$5,00 por dia para sobreviver.




Tópicos relacionados

Desigualdade   /    Desigualdade   /    Auxílio emergencial   /    Pandemia   /    Sociedade   /    Economia

Comentários

Comentar