×

Desemprego e inflação | Brasil de Bolsonaro e Paulo Guedes tem a 4ª maior taxa de desemprego na América do Sul

O Brasil está entre os países com os piores índices de inflação e desemprego na América do Sul, ficando na 4ª pior posição, atrás apenas da Guiana (15,8%), Suriname (11,2%) e Colômbia (10,6%). São 10,6 milhões de pessoas sem trabalho, o que corresponde a 9,8% da população brasileira. O Brasil tem a 5ª maior inflação da América do Sul, sendo uma inflação de 11,89% em 12 meses no Brasil. Bolsonaro e Guedes são os responsáveis.

terça-feira 19 de julho | Edição do dia

Imagem: Globonews/Reprodução

Os dados são da Trading Economics. Além disso, 3 em cada 10 brasileiros não sabem se vão conseguir fazer a próxima refeição, de acordo com a ONU. A falta de renda e a inflação são os principais motivos para essa situação.

Enquanto se torna constante em seu governo a miséria mais aguda, como vimos também nas filas do osso, Bolsonaro faz demagogia com as condições de vida da população, com medidas insuficientes, como a PEC dos benefícios que aumenta o valor do Auxílio Brasil, ainda mantendo-o completamente insuficiente para uma vida digna, na tentativa desesperada de inverter o quadro eleitoral.

Bolsonaro, Guedes o agronegócio e os capitalistas são os responsáveis por essa situação de fome e insegurança alimentar no país. Para superar a crise, é necessário que o reajuste automático do salário conforme a inflação seja uma bandeira de luta da classe trabalhadora e de suas organizações sociais e sindicatos, assim como a divisão da jornada de trabalho entre desempregados e empregados, sem redução do salário. Para isso, é imprescindível a revogação da reforma trabalhista, herança do golpe institucional, que Lula e o PT apontam desde já que não revogarão. Apenas uma saída de independência de classes, que não atua de acordo com os interesses do capital, mas sim a serviço da classe trabalhadora, é que pode derrotar o bolsonarismo e assegurar uma vida digna e sem miséria.

A situação de desemprego está em linha com o projeto do bolsonarismo e de Guedes para o país, que é o de, a partir da Reforma Trabalhista e do Teto de Gastos do governo Temer, seguir com o aprofundamento dos ataques às condições de trabalho, diminuindo seu custo para os capitalistas, e aumentando os lucros destes.

O grande símbolo disso, na gestão de Bolsonaro, foi a aprovação da Reforma da Previdência, em 2019, mas também as tentativas de aprovar a Reforma Administrativa, que atacaria os direitos dos servidores públicos, e as privatizações, como a da Eletrobrás. Um país de jovens uberizados fazendo entregas, e de trabalhadores informais com baixo rendimento. E nada mostra mais claramente o que significa esse projeto de país do que os recentes dados sobre a fome no Brasil: são 125 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar, e 33 milhões que passam fome diariamente, segundo dados da Rede Penssan. Fazendo uma rápida comparação com os dados de desemprego, vê-se que a fome no Brasil não atinge apenas os desempregados, mas também um grande número de pessoas que têm emprego e que, mesmo assim, passam fome.

O projeto de Bolsonaro e Guedes é o de manter essas condições pela força destilando todo seu reacionarismo. Apoiado nos militares na maior parte do centrão, não hesitaria em se utilizar da repressão para enfrentar qualquer tipo de descontentamento social causado pela grave situação no país.

Pode te interessar: A redução da jornada de trabalho nas grandes empresas poderia criar mais de 5 milhões de empregos com carteira assinada no Brasil

* Dados acessados em: https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/brasil-tem-a-4a-maior-taxa-de-desemprego-na-america-do-sul-10766925.ghtml




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias