×

Com balbúrdia e contra a extrema-direita! | Bora fazer uma reunião aberta para construir a Calourada Política do SeSo?

Depois de dois anos de pandemia e ensino remoto, o esperado retorno presencial está chegando, o momento de Calourada também! Bora fazer uma reunião aberta, ampla e democrática para construirmos e organizar a Calourada Política do nosso curso? Nós da Faísca Revolucionária fazemos esse chamado às estudantes e ao CASESO

Eduardo MáximoCalouro de Serviço Social na UnB e bancário na Caixa

Luiza EineckEstudante de Serviço Social na UnB

segunda-feira 23 de maio | Edição do dia

Depois de dois anos de pandemia e ensino remoto, o esperado retorno presencial está chegando e o momento de Calourada também! E, antes de tudo, ela precisa ser organizada! A tradicional Calourada Política do Serviço Social, para além de ser um espaço de integração des estudantes do curso e acolhimento aos caloures, seja nos corredores, bares, festas e rolês, é também um espaço subversivo de organização e discussões políticas vivas. Essas coisas não estão separadas, e são partes centrais da combatividade que precisamos retomar no movimento estudantil, e que hoje frente ao governo de extrema direita de Bolsonaro e todos os ataques à educação, às universidades e à juventude, se tornam mais urgentes.

Nesse sentido, nós da Faísca Revolucionária fazemos um chamado ao conjunto des estudantes do curso e propomos à atual gestão do CASESO uma reunião aberta para construir e organizar conjuntamente a calourada desse semestre! É muito importante que todes es estudantes, coletivos do movimento feminista, negro, estudantil sejam parte ativa da construção da semana dessa semana de recepção (a primeira em mais de dois anos!). E que, inclusive, vários veteranes não tiveram calourada, pois entraram na UnB durante o Ensino Remoto. Bora construir juntes esse momento tão importante!

Várias veteranes poderiam ter muitas ideias criativas e experiências para trocar com as caloures sobre saúde mental, os desafios e expectativas da profissão de assistente social; debates sobre feminismo, questão negra, gênero e liberdade sexual; são inúmeras as possibilidades e uma reunião em que o conjunto dessas ideias possam ser expressas e debatidas pode potencializá-las ainda mais!

Assim como nos preparamos para combater Bolsonaro, a extrema-direita e o conjunto dos ataques contra os trabalhadores, a juventude, mulheres, negros, LGBTQIAP+, indígenas e os setores oprimidos. É fundamental que nossa entidade estudantil, o CASESO, cumpra esse papel militante e que estimule a integração e promova a organização e politização des estudantes.

Os recentes ataques bolsonaristas na Unicamp e UFRN demonstram reafirmam que não será nas eleições que iremos vencer o projeto ultra reacionário da extrema-direita, Bolsonaro, Mourão e os militares. A luta para colocar a extrema-direita no lugar que ela merece, na lata do lixo da história, só será conquistada através da nossa mobilização independente ao lado dos trabalhadores, e não junto de Alckmin, da direita e dos patrões como faz Lula e o PT, com o qual o PSOL se adapta. Querem que o único papel dos trabalhadores e estudantes seja votar em outubro para não atrapalhar seus acordos com a direita e seu projeto de governar o capitalismo em crise com o conjunto dos ataques e reformas ultraneoliberais intactos.

Enfim, são vários debates calorosos que temos certeza que todes estão ansiosos para fazer! Não temos tempo a perder, à volta às aulas estão aí! Bora organizar essa reunião aberta e democrática para construir uma recepção cheia de discussões políticas vivas no nosso curso, ocupando os espaços da UnB com balbúrdia e subversão, para que es estudantes tomem a luta contra a extrema-direita em suas mãos nesse retorno presencial!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias