Política

NEPOTISMO

Bolsonaro e o famoso Nepotismo, faz sobrinho ganhar novo cargo no Senado

Fazendo parte da parentela de Jair Bolsonaro, Léo índio foi nomeado como assessor parlamentar da Primeira Secretaria do Senado, comandada pelo senador Sérgio Petecão, do PSD do Acre e aliado do governo.

quarta-feira 4 de novembro| Edição do dia

A nomeação foi publicada nesta terça-feira no Diário Oficial e ocorre menos de três semanas após Léo Índio deixar cargo no gabinete de Chico Rodrigues, o que ficou famoso nos últimos dias por ser flagrado pela Polícia Federal com dinheiro na cueca juntando-se a coleção de cenas escandalosas na política brasileira em 2020. Leo, que é muito próximo do vereador Carlos Bolsonaro, do Republicanos-RJ é sobrinho de Rogéria Nantes, ex-mulher de Jair e mãe de Flávio, Carlos e Eduardo. Apesar da ausência de laço sanguíneo, Bolsonaro leva a sério o nepotismo e sempre se refere a Leo Índio como “meu sobrinho”
Índio abriu mão do carco, o qual recebia mensalmente, um salário de 23 mil reais, por constrangimento e pressão familiar, o ex-assessor teria tido orientações por parte dos auxiliares de Bolsonaro a pedir exoneração e permanecer em silêncio, fora dos holofotes, para que sua imagem não fosse ainda mais atrelada ao escândalo do senador, de modo a prejudicar o presidente.

Essa orientação dada a índio pelos auxiliares de Bolsonaro, nada mais é, do que a continuação da mamata Bolsonaro nos últimos 28 anos, cujo o clã, já nomeou 102 pessoas com laços familiares, o que não tem nada a ver, com constrangimento, até mesmo porque, toda a postura de Bolsonaro e sua corja, por si só, já são constrangedores, como por exemplo, a fortuna que a família reacionária vem fazendo com a política, fortuna essa totalmente incompatível com os rendimentos gigantescos dos políticos no país.

Bolsonaro é farinha do mesmo saco dos políticos tradicionais mostrando com suas propriedades como não são somente reacionários, mas representantes da mais velha politica burguesa, parte de uma elite que faz política para enriquecer e se assemelhar a quem eles servem, o empresariado.

O combate à direita reacionária e seus privilégios, assim como os capitalistas, que só servem por sua vez a atacar os trabalhadores, se faz não perdoando nenhum membro deste governo nepotista, questionando toda essa democracia podre dos ricos. Por isso é necessário defender que todo político e juiz seja eleito, revogável e ganhe como uma professora, uma medida embasada na luta para impor uma nova Assembleia Constituinte Livre e Soberana que acabe de uma vez por todas com todos os privilégios de políticos e juízes, confiscando os bens corruptos e expropriando e colocando sob administração dos trabalhadores, abrindo caminho a uma resposta anticapitalista e revolucionária em nosso país.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar