Sociedade

COLAPSO SANITÁRIO

Bolsonaro e governadores levam país ao "maior colapso sanitário da história"

15 estados já estão com 90% dos leitos de UTIs ocupados. Entre as capitais, 19 têm a taxa de acima de 90%.

quarta-feira 17 de março| Edição do dia

Foto: Agência Brasil

Segundo a edição do Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19 da Fiocruz, com bases nos dados das secretária estaduais de saúde e do Distrito Federal, divulgado nesta última terça-feira (16), o Brasil está passando pelo maior colapso sanitário e hospitalar da sua história.

O levantamento mostrou que dentre as 27 unidades federativas, 25 delas estão com taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS) iguais ou superiores a 80%, enquanto outros 15 estados já possuem taxas igual ou superiores a 90%. Entre as capitais, 25 já estão com taxas de ocupação das UTIs superiores a 80%, 19 delas têm a taxa acima de 90%.

Ontem (17), o país chegou a quase 3 mil mortes na última 24 horas, com 2.842 mortes. Em meio essa barbárie, que é fruto da gestão negacionista de Bolsonaro, mas também dos governadores como Dória em São Paulo, que já conta com 679 mortes nas últimas 24 horas.

Em meio a crise ministerial, Marcelo Queiroga foi nomeado por Bolsonaro o novo chefe do Ministério da Saúde no lugar de Eduardo Pazuello, e já declarou que continuará a política de morte da presidência.

EDITORIAL: Brasil agoniza nas UTIs lotadas e pela fome: a resposta não é esperar 2022




Tópicos relacionados

Colapso da saúde   /    Bolsonaro   /    Crise na Saúde   /    COVID-19   /    Pandemia   /    Ministério da Saúde   /    João Doria   /    Sociedade

Comentários

Comentar