×

Bolsonarismo | Bolsonaro diz que hackers desviaram 12 milhões de votos em 2018, mas afirma não ter provas

O presidente, no "cercadinho do gado" do Palácio da Alvorada em Brasília, disse que “hackers foram contratados” para desviar 12 milhões de votos seus nas eleições presideciais em 2018. “Repito que não tenho provas. Os hackers fizeram seu trabalho, mas não foi suficiente para o outro lado ganhar", disse Bolsonaro.

quarta-feira 11 de agosto | Edição do dia

Foto: Reprodução/YouTube

“Esse cara [o hacker] ficou oito meses lá dentro [do TSE]. Foram contratados por quem tinha interesse nas eleições e teriam que desviar 12 milhões de votos meus”, disse o presidente.

Pode te interessar: Análise e política nacional - O Brasil não é para amadores: voto impresso e desfile militar: o que Bolsonaro pretende?

Segundo ele, “o hacker fez seu trabalho. Só que quando a eleição acabou, não foi suficiente pro outro lado ganhar. O lado que recebe dinheiro do narcotráfico, do Fórum de São Paulo, de corrupção bilionária, de dinheiro de fora do Brasil”.

“Como o outro lado não ganhou, eles resolveram não pagar os hackers. E a partir do momento que não pagaram os hackers, eles decidiram denunciar”.

Vergonhoso: Deputado bolsonarista posta foto do exército chinês para exaltar desfile militar de Bolsonaro

Após a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do voto impresso ter sido rejeitada na Câmara dos Deputados, o presidente disse que o alto número de votos “sim” mostrou que a “lisura” do processo não é confiável. Bolsonaro disse que o voto eletrônico é bom para PT, PCdoB, PSOL. “Os números [da votação da PEC] foram divididos. É sinal que metade não acredita 100% na lisura dos trabalhos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), não acreditam que o resultado final seja confiável”, afirmou.

Veja mais: PEC do voto impresso é derrotada em plenário da Câmara por não conseguir maioria de 2/3

O presidente afirma que o alto número de deputados que não compareceram para votar expressa que esses parlamentares ficaram com medo de “retaliações”, e quem votou contra a PEC foi por conta do presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso. “Os que se abstiveram numa votação online ficaram preocupados com retaliações”.

Veja também: Deputados contrários ao voto impresso sofrem graves ameaças de bolsonaristas na internet

“Está sinalizado que a eleição [do ano que vem] não está dividida, mas que não vai se confiar no resultado das apurações”, disse o presidente.

ESQUERDA DIÁRIO COMENTA | Desfile militar na Esplanada:




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias