CORONAVÍRUS

Bolsonaro contratou vacinas para apenas 10% da população

Podendo optar entre 10% e 50%, Bolsonaro contratou vacina para a cota mínima de habitantes.

terça-feira 8 de dezembro de 2020| Edição do dia

Foto: Adriano Machado.

A Covax, uma coalizão formada para garantir a vacina do coronavírus para países mais pobres, disponibilizou a possibilidade dos governos comprarem vacina suficiente para cobrir entre 10% e 50% da população. O governo Bolsonaro optou por receber a cota mínima, ou seja, garantir a vacina para apenas 10% da população.

Bolsonaro já deixou claro seu negacionismo contra a vacina da Covid-19, afirmando que prefere investir em medicamentos para a “cura” da doença, como a cloroquina. Entretanto, esses medicamentos não têm nenhum tipo de eficácia comprovada. Além disso, Bolsonaro vomita xenofobia ao se negar comprar a vacina da empresa chinesa, SinoVac.

O presidente e todo seu governo fazem demagogia com a doença e com as centenas de milhares de mortes, se utilizando da pandemia para atacar o governador João Dória (PSDB): “Está acabando a pandemia, acho que ele [João Doria] quer vacinar o pessoal na marra rapidinho, porque vai acabar e ele fala: ‘acabou por causa da minha vacina’. Tá ok? O que está acabando é o governo dele, com toda certeza” chegou a afirmar Bolsonaro.

Veja também: Na vacinação, nem Bolsonaro nem Dória tem qualquer preocupação com a vida dos trabalhadores

Entretanto, sabemos que nem João Dória, nem Bolsonaro, se preocupam realmente com a população. Dória apenas tenta alavancar sua candidatura em 2022, enquanto Bolsonaro tenta a todo custo atrapalhar o governador.

A vacina vem sendo patrocinada por dinheiro público, enquanto as empresas privadas que a desenvolvem lucram aos montantes, com direito à patente e estipulando o valor que querem sobre o produto. Dessa forma, a população mundial fica refém das grandes indústrias e sequer tem uma visão clara do que está sendo desenvolvido, uma vez que as empresas mantêm o sigilo sobre o desenvolvimento.

Vidas estão em jogo, e não podem ficar em uma briga entre negacionistas e tucanos, muito menos nas mãos de empresários. É necessário que a vacina seja de produção estatal, sob controle e fiscalização das organizações de trabalhadores da saúde e científicas.




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Vacina   /    Vacinação   /    Coronavírus   /    João Doria

Comentários

Comentar