Sociedade

MEIO AMBIENTE

Bolsonaro chama Greta de "pirralha" após jovem denunciar mortes de indígenas no Maranhão

Bolsonaro chama Greta Thunberg, a jovem ativista pelo meio ambiente, de "pirralha" e ataca a imprensa por divulgar sua ações. Não é a primeira vez que a família Bolsonaro ataca Greta. Desta vez, a jovem denunciou os assassinatos dos indígenas na Amazônia e a luta em defesa de suas terras, vidas e da florestas.

terça-feira 10 de dezembro de 2019| Edição do dia

Questionado sobre o assassinato de dois indígenas no Maranhão, o presidente Jair Bolsonaro respondeu que a ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, é uma "pirralha". "Qual o nome daquela menina lá, lá de fora? Tabata, como é? Greta. Já falou que índios estão morrendo porque estão defendendo a Amazônia. Impressionante a imprensa dar espaço para uma pirralha dessa aí, uma pirralha", disse Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada, onde costuma parar para tirar selfies com apoiadores e responder perguntas da imprensa.

Não é a primeira vez que a família Bolsonaro ataca a jovem Greta. Após o discurso da jovem na Assembleia da ONU em setembro deste ano, logo após o escândalo international das queimadas na Amazônia, Eduardo Bolsonaro espalhou fake news contra Greta para deslegitimar seu discursos e seu ativismo pelo meio ambiente.

Relembre: Eduardo Bolsonaro espalha fake news sobre jovem Greta para defender destruição ambiental

Um dos principais nomes na articulação contra os efeitos das mudanças climáticas, a ativista sueca afirmou no domingo, dia 8, que os povos indígenas do Brasil estão sendo assassinados por proteger as florestas. "Os povos indígenas estão sendo literalmente assassinados por tentar proteger as florestas do desmatamento. Repetidamente. É vergonhoso que o mundo permaneça calado sobre isso", escreveu Greta, que compartilhou nas redes sociais uma notícia da Al Jazeera sobre as mortes no Brasil.

Veja também: Em declaração racista, Bolsonaro chama indígenas de "pré-históricos dentro de suas terras"

Bolsonaro, em típico discurso reacionário da extrema-dreita tentou se defender afirmando que "qualquer morte" preocupa o governo. E que é contra crimes ambientais. "Preocupa. Qualquer morte preocupa. Temos de cumprir a lei. Somos contra desmatamento ilegal, somos contra queimada ilegal. Tudo o que for contra a lei, somos contra", afirmou Bolsonaro.

Veja também: Veja 10 declarações racistas de Bolsonaro sobre os indígenas

Enquanto isso, Bolsonaro segue com políticas de governo que fomentam a destruição ambiental em nome dos lucros, em especial dos ruralistas, liberando dezenas de agrotóxicos e políticas que favorecem o agronegócio no Brasil. Bolsonaro segue atacando as comunidades indígenas e quilombolas, em declarações absurdamente racistas, que na prática se materializam com uma política de extinção dos povos originários e neste sentido, ataca aqueles que denunciam as atrocidades de seu governo.

Com informações de Agência Estado




Tópicos relacionados

Greta    /    Governo Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    Indígenas   /    Sociedade   /    Meio Ambiente   /    Povos indígenas

Comentários

Comentar