Política

Bolsonaro assina novo auxílio emergencial e exclui 22,6 milhões de pessoas

Somente 45,6 milhões de pessoas receberão o novo auxílio emergencial.

quinta-feira 18 de março| Edição do dia

Foto: Agência Brasil

Bolsonaro assinou nesta quinta-feira (18), a MP (Medida Provisória) que cria o novo auxílio emergencial que será destinado a trabalhadores informais e beneficiários do Bolsa Família.

O valor do auxílio pode variar de R$ 150, para quem mora sozinho; R$ 250, para famílias com mais de uma pessoa; ou R$ 375, para famílias chefiadas por mulheres. Só receberá o novo auxílio quem já recebeu o benefício anteriormente. O valor será pago a partir de abril.

O novo auxílio, que já é bem inferior ao R$ 600 reais pago no inicio da pandemia, que contemplou 68,2 milhões de pessoas, e já era insuficiente, agora vai excluir 22,6 milhões de pessoas. Essa situação se agrava pois serão pagos apenas quatro parcelas de cada valor, enquanto no ano passado foram pagas cinco parcelas de R$ 600 e quatro parcelas de R$ 400.

Enquanto a maioria da população amarga o desemprego e a fome, e terá uma auxílio que não é suficiente nem para pagar uma cesta básica, frente a uma crise sanitária sem precedentes, Bolsonaro e o Congresso querem avançar com os ataques como a PEC Emergencial que congelar salários, demostrando que quer que os trabalhadores paguem pela crise.

Veja também: Maioria vai receber R$ 150 do novo auxílio, valor do jantar de um deputado em Brasília




Tópicos relacionados

COVID-19   /    Auxílio emergencial   /    Pandemia   /    PEC Emergencial    /    Governo Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar