Política

Bolsonaro afirma que Forças Armadas decidem se o povo vai viver a democracia ou ditadura

Sendo pressionado pelo fracasso de seu governo frente à caótica situação de pandemia do Covid-19, Bolsonaro volta com seu discurso ideológico ao falar com apoiadores na manhã desta segunda-feira (18).

segunda-feira 18 de janeiro| Edição do dia

Foto: Isac Nóbrega/PR

Além de orar e ir contra a defesa de um Estado laico, reforçar diferenças entre homens e mulheres e criticar o socialismo, Bolsonaro chegou a dizer que o motivo de terem sucateado as Forças Armadas ao longo de 20 anos era porque os militares seriam o último obstáculo para o socialismo. “Quem decide se um povo vai ver na democracia ou na ditadura são as suas Forças Armadas. Não tem ditadura onde as Forças Armadas não apoiam”.

Em tom jocoso, Bolsonaro ironizou Nicolás Maduro ao se disponibilizar em enviar cilindros de oxigênio para Manaus e ainda disse “vem uns idiotas, eu vejo aí, elogiando ‘olha o Maduro, que coração grande ele tem’. Realmente, daquele tamanho, 200kg, 2 metros de altura, o coração dele deve ser muito grande. Nada mais além disso”.

Entretanto, não é a primeira vez que Bolsonaro faz menção ao golpe militar de 1964, tendo até defendido a ditadura em seu pronunciamento do 7 de setembro, reivindicando-a como parte da saga pela liberdade do povo brasileiro.

Como se não bastasse, também chegou a exaltar a tortura e pedir raio-x para comprovar que Dilma teve a mandíbula fraturada durante sessões de tortura em época que esteve presa.

Leia mais: 10 frases de Bolsonaro defendendo a nefasta ditadura militar brasileira




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Tortura dos militares   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Governo Bolsonaro   /    Tortura na Ditadura Militar   /    Exército   /    Golpe militar   /    Jair Bolsonaro   /    Ditadura militar   /    Política

Comentários

Comentar