Política

BOLSONARISMO

Bolsonaristas invadem rádio no interior de PE e fazem ameaças contra críticas ao governo

Na noite da última terça-feira, dia 6, o estúdio de uma rádio do município de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco, foi invadido por homens, que ameaçaram um radialista que havia criticado a política sanitária do presidente Jair Bolsonaro.

sexta-feira 9 de abril| Edição do dia

No auge da pandemia, em que Pernambuco que amarga 97% de ocupação das suas UTI s, criticar a gestão da pandemia por parte do Governo Bolsonaro virou caso de polícia essa semana.

Aos gritos de “Chame, agora, a gente de genocida aqui na minha cara”, o radialista Júnior Albuquerque, da Rádio Comunidade FM, teve os seus estúdios invadidos por um grupo de quatro homens que ameaçavam os participantes de um programa de debates políticos local, que fazia críticas à política sanitária do governo Bolsonaro. O fato redundou em queixa junto à delegacia e abertura de inquérito para apurar o caso por parte da Policia Civil. Mas, alguns aspectos merecem atenção.
À entrada de Santa Cruz do Capibaribe, ganha destaque um outdoor, cuja imagem sorridente de Bolsonaro informa: "Única cidade de Pernambuco em que o mito foi campeão". Esta uma alusão ao segundo turno das eleições de 2018, onde Bolsonaro saiu vitorioso com 53,83% ou 23.044 votos.

A cidade é considerada o maior pólo de confecções do Norte e Nordeste. É também um império do trabalho informal, posto que abrigar milhares de pequenas e micro empresas têxteis, baseadas no trabalho por conta própria, em linhas de produção muitas vezes domésticas, que fabricam e exportam roupas para todo o país. É a cidade da semanal e famosa Feira da Sulanca, uma jóia enquanto centro de comércio informal, com os seus sulanqueiros, como são conhecidos os comerciantes, que vendem suas confecções tanto para pequenos compradores quanto para grandes lojistas.

Responder às críticas com truculência é uma expressão de que, ante a crise, uma das respostas é a regressão do esclarecimento, que se apresenta na face da repressão. Vale lembrar que mesmo diante da tragédia da pandemia no Brasil, com seus mais de 4 mil mortos por dia, Bolsonaro, ainda que tenha caído em popularidade, detém 37% de apoiadores e segue inflamando sua base.

Diante da gestão catastrófica da pandemia e as suas mais recentes baixas, o bolsonarismo busca reagrupar sua base sob o argumento de necessidade da volta ao trabalho e da movimentação da economia em crise.

Fatos como o ocorrido na interiorana cidade de Santa Cruz do Capibaribe é uma violação nefasta da liberdade de expressão política, um sintoma de um Estado que ostenta leis práticas da ditadura como a Lei de Segurança Nacional usada pelo bolsonarismo e pelo STF. A extrema direita, os militares, e todos esses que buscam suprimir a luta dos trabalhadores e dos oprimidos não irão cair sozinhos. Urge uma saída independente dos trabalhadores e a sua organização contra esse regime que degenera dia após dia as condições de vida dos mais pobres.

Nós do Esquerda Diário repudiamos e denunciamos aqui essa atitude nefasta de tentar intimidar aqueles que se colocam em oposição ao genocida Bolsonaro.

Veja também: Com voltas às aulas irresponsável, cresce número de crianças e adolescentes infectados com covid-19 em Pernambuco




Tópicos relacionados

LSN   /    Nordeste   /    Pernambuco   /    bolsonarismo   /    Extrema-direita   /    Censura   /    Política

Comentários

Comentar