Política

ELEIÇÕES 2020

Barroso e o TSE são responsáveis pelo atraso e inauguram a "apuração secreta"

Grande parte das cidades ainda estão com pouquíssimas urnas apuradas.

domingo 15 de novembro| Edição do dia

Títulos cancelados, aplicativo e-titulo não funcionando e muitos outros problemas. Se não bastasse isso, ainda por cima os resultados das eleições ainda atrasam. Muitas capitais estão com menos de 1% das urnas apuradas e quase nenhuma passou de 10% até esse momento, além disso muitas cidades do interior estão com 0% apurados.

Inicialmente foi falado que a instabilidade era devida a um ataque hacker, mas agora já o TSE afirmou que seria devido a um problema de muito fluxo de dados para o sistema do Tribunal Superior em Brasília. Esse ataque e essa instabilidade são inéditos nas apurações das eleições brasileiras e contrastam com o discurso de que o sistema brasileiro seria um dos mais seguros do mundo.

A questão é que o TSE, chefiado pelo amigo de Moro e da Lava Jato, o ministro Luís Roberto Barroso, modificou a metodologia de contagem na apuração. usualmente, os resultados eram divulgados pelos TREs (Tribunal Regional Eleitoral), que decentralizava os resultados apurados de acordo com o número populacional. Agora, o TSE se deu a prerrogativa de "avaliar previamente" os dados, enviados sigilosamente, pelos TREs, que não são autorizados a divulgar nada. O método de apuração secreta é digno do autoritarismo judiciário, que em 2018 manipulou eleições - com STF e TSE à cabeça - para facilitar a ascensão da exrtema direita.

Cabe dizer também que boa parte do sistema de votação no Brasil é privatizado. A empresa que é responsável por fornecer as urnas eletrônicas ganhou milhões de reais e não entregou todas as urnas a tempos das eleições.

Recentemente, vimos nas eleições americanas uma imensa demora para atualizar os dados, que transformou o processo em chacotas e memes pelo mundo todo. O TSE, que chegou a ironizar com o fato no twiter, caminha no mesmo caminho.




Tópicos relacionados

Eleições municipais 2020   /    Eleições 2020   /    TSE   /    TSE   /    Política

Comentários

Comentar