Política

Eleições 2020

Axel Grael do PDT, coligado com partidos de direita, é eleito em Niterói no primeiro turno

Candidato pelo partido de Ciro Gomes venceu as eleições em Niterói no primeiro turno em coligação com partidos como MDB, PATRIOTA, PP, PRTB entre outros partidos golpistas e reacionários.

segunda-feira 16 de novembro| Edição do dia

  • Foto: Reprodução/Instagram

Com 62,5% dos votos validos, o candidato Axel Grael (PDT) foi eleito para a prefeitura de Niterói. Candidato do atual prefeito Rodrigo Neves (PDT), participava das eleições pela coligação "União por Niterói" composta por 14 partidos, entre eles o golpista MDB, o PP, partido de Paulo Maluf e ex-partido de Jair Bolsonaro, o PATRIOTA de Arthur do Val em São Paulo e o PRTB partido do vice-presidente Mourão.

PT, PCdoB, Rede, PSB, Cidadania, PL, Avante, PV, e Solidariedade são os outros partidos que compôs essa coligação.

O PDT, partido de Ciro Gomes, já demonstrou outras vezes que não pode ser uma alternativa para a classe trabalhadora no país e no Rio. Os 11 deputados do partido que aprovaram a reforma da previdência e as várias coligações com partidos golpistas e conservadores nessas eleições, mostra como nenhuma saída independente pode ser construída com esse partido. A situação do Amapá, estado governado pelo PDT que é um dos responsáveis pelo apagão é mais um exemplo do que esse partido representa.

Essa busca em ser uma alternativa de um "centro" progressista para tentar atrair votos da esquerda moderada, na prática se mostra como uma aliança aos setores do empresariado para realizar ataques necessários para que eles possam garantir seus lucros. A aliança com partidos de direita, inclusive bolsonarista, em Niterói, é reflexo do vale tudo eleitoral que significa mais ataques a classe trabalhadora.

Leia também: Martha Rocha: o centro e um novo pacto repressivo das elites cariocas




Tópicos relacionados

Eleições Niterói 2020   /    Niterói   /    Eleições 2020   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    PDT   /    Centrão   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar