Política

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Auxílio de R$150 não paga uma cesta básica. Que seja de um salário mínimo e o dobro para as mulheres já!

Enquanto o preço dos alimentos seguem aumentando, Bolsonaro e o Congresso aprovam um auxilio emergencial no valor mínimo de R$150 reais. É preciso que o valor do auxilio seja aumentado para um salário mínimo e o dobro para as mulheres já!

sexta-feira 19 de março| Edição do dia

Imagem: reprodução Google

Nesta última quinta-feira (18), Bolsonaro assinou o novo auxílio emergencial que teve seu valor enormemente reduzido comparado ao valor que foi pago na maior parte do ano passado. Cerca de 16,7 milhões de pessoas irão receber o auxílio no valor de R$ 250, enquanto a maioria dos beneficiários, que são cerca de 20 milhões, receberam um valor de R$ 150. Esse valor, é extremamente insuficiente para passar durante um mês inteiro. Isso sem falar que o presidente e o Congresso aprovaram um auxílio que vai deixar de fora mais de 22 milhões brasileiros, que vão estar largados à própria sorte entre a fome e o vírus.

Não há como uma família de trabalhadores conseguir se manter recebendo um valor de R$ 150, ainda mais frente ao preço dos alimentos que segue subindo fortemente, chegando a ser o triplo da inflação. Durante o governo Bolsonaro, o preço das cestas básicas chegou aumentar 33%, e em várias capitais o valor da cesta básica está quase o valor de um salário mínimo. Como com apenas R$ 150 reais por mês uma família vai sobreviver?

Hoje, mais de 16 milhões de pessoas que vivem em favelas, por exemplo, já realizam em média menos de duas refeições por dia durante a pandemia, enquanto o agronegócio se esbalda nos lucros da alta de preços, com investimentos bilionários advindas do próprio governo Bolsonaro.

Os valores que serão pagos pelo o governo Bolsonaro manterá os mais pobres na miséria enquanto segue perdoando milhões de dívidas das igrejas e segue pagando rigorosamente a fraudulenta e ilegítima dívida pública. Não há como aceitar isso. O mais urgente nesse momento de crise é garantir um auxílio com o valor igual a de um salário mínimo para que os trabalhadores.

É necessário também que para as mulheres que no meio de uma sociedade patriarcal onde acabam recebendo a imposição de ter uma jornada dupla ou tripla de trabalho por conta dos serviços domésticos, é preciso que seja pago o dobro de um salário mínimo como auxílio.

Nós do Esquerda Diário e do MRT estamos lado a lado de todos os trabalhadores e desempregados que estão exigindo o seu auxílio emergencial, e junto a essa batalha apresentamos um plano de conjunto para enfrentar a crise sanitária e faça com que seja os capitalistas paguem pela a crise.

Veja aqui a declaração do MRT: Entre recordes de mortes por Covid, de desemprego e de ataques: só nossa classe pode impor uma saída de emergência




Tópicos relacionados

Miséria capitalista   /    Inflação nos alimentos   /    Auxílio emergencial   /    Governo Bolsonaro   /    Cesta Básica   /    Jair Bolsonaro   /    Congresso   /    Política

Comentários

Comentar