Violência Policial

Ato por justiça para Emily e Rebeca, mortas pela polícia, acontece no Rio de Janeiro

Após a morte brutal de mais duas crianças, Emily e Rebeca, na noite da última sexta-feira, dia 4, na comunidade Santo Antônio em Duque de Caxias, na baixada fluminense. Centenas de pessoas incluindo familiares das vitimas e militantes de grupos políticos e movimentos sociais organizaram um ato no dia de hoje (06/12) por justiça e contra a violência policial.

segunda-feira 7 de dezembro de 2020| Edição do dia

O ato que ocorreu neste domingo às 15 horas na praça Raul Cortez por Justiça a Emily e Rebeca foi marcado pela presença e relatos de seus familiares e da Rede de Mãe e Familiares vitimas de violência da Baixada retratando a crueldade da polícia que mata sistematicamente nas favelas e periferias do país. Segundo dados do @fogocruzadorj, desde o início do ano até o dia das crianças (12 de outubro), havia registros de 20 crianças baleadas na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Emily e Rebeca eram primas e estavam ansiosas para a festa de aniversário de Emily, que completaria 5 anos, segundo a família essa seria a primeira festa da menina e todos os preparativos já estavam prontos, mas a menina nunca chegou a completar seu aniversário pois um agente fardado do estado resolveu atirar na sua cabeça.

O crime ocorreu por volta das 20 horas e nenhum morador relatou qualquer troca de tiros ou perseguição ocorrendo no local, mas segundo a Polícia Militar, uma equipe do 15º Batalhão de Duque de Caxias estava fazendo um patrulhamento e não dispararam. É absurda a forma como a polícia mente, distorce fatos e encobre cada uma das atrocidades que comete contra a população pobre e negra.

Emily foi enterrada com o vestido que usaria na festa de aniversário. Uma prima das meninas conta que foram apenas alguns minutos em que a avó entrou em casa, e que justamente nesse momento a polícia resolveu fazer essa verdadeira execução a sangue frio.

Nós Esquerda Diário e militantes do Quilombo Vermelho estivemos presentes no ato
para se somar a luta por Justiça a Emily e Rebeca e todos os negros e negras mortos pela violência policial desse estado racista como recentemente aconteceu Nego Vila, Nego Beto. A violência racista da polícia é respaldada pela política de extrema direita de Bolsonaro que sempre destilou ódio contra os negros, as mulheres e os LGBT’s, mas também pelos Governadores do Rio como Witzel e agora o aliado de Bolsonaro Castro.

É preciso se inspirar na luta do movimento Black Lives Matter nos EUA, que reúne negros, brancos e latinos exigindo o desfinanciamento, o desarmamento e o fim da polícia! E para isso, é necessário que as Centrais Sindicais, as entidades estudantis e as organizações de esquerda organizem nos locais de trabalho e estudos uma grande mobilização por justiça à todos os mortos pela violência policial e pelo o racismo que é totalmente estrutural da sociedade capitalista!

Veja a fala da avó das vítimas durante o ato




Tópicos relacionados

Brutalidade policial   /    Repressão policial   /    Racismo de Estado   /    Racismo Estrutural   /    Racismo Policial   /    Racismo   /    Racismo   /    Violência policial   /    Rio de Janeiro   /    [email protected]

Comentários

Comentar