×

Internacional | Atentados à marcha contra o acordo do Governo com o FMI em Córdoba na Argentina

Reproduzimos uma declaração conjunta de diferentes organizações argentinas relatando e repudiando os atentados ocorridos quando estava terminando a mobilização massiva contra o acordo do Governo com o FMI nesta terça-feira (08/02) em Córdoba.

sexta-feira 11 de fevereiro | Edição do dia

REPUDIAMOS OS ATAQUES À MARCHA CONTRA O ACORDO COM O FMI

Na última terça-feira (08/02), o povo argentino se mobilizou em todo o país contra o acordo do governo de Alberto Fernández com o FMI. Em Córdoba se deu um marco histórico, com uma mobilização contundente e unitária com mais de 20 mil pessoas em repúdio às tarifas, ao ajuste em curso e às políticas de fome e desemprego que vão ser aprofundadas com esse acordo. Nesse contexto, de forma coordenada, simultânea, e portanto premeditada, em diferentes pontos da mobilização, grupos de pessoas encapuzadas exibiam armas de fogo, intimidando todos os participantes e provocando diferentes tipos de incidentes.

Até agora sabemos dos acontecimentos na coluna do Polo Obrero em Vélez Sarsfield e do 27 de abril com um grupo de infiltrados que geraram tumultos e um estouro que causou ferimentos a mulheres e menores; em Yrigoyen e Obispo Trejo houve eventos semelhantes na coluna do FOL quando um carro com pessoas encapuzadas mostrando armas dispararou para o ar; em frente à praça Vélez Sarsfield a mesma coisa aconteceu na coluna do Libres del Sur.

Dezenas de organizações convergiram em repúdio ao pagamento da dívida e o acordo com o FMI, afirmando a necessidade de manter uma alternativa política nacional ao ataque que o governo de Alberto Fernández quer impor. Apesar da enorme mobilização, impressiona a pouca cobertura da mídia desta grande mobilização que aconteceu na terça-feira.

Esses ataques tem como objetivo disciplinar e paralisar o que estava sendo expresso nas ruas. O balanço dos atentados organizados em diferentes pontos da mobilização, de acordo com os fatos registrados até o momento, é de vários companheiros feridos, alguns hospitalizados e um companheiro de 15 anos em tratamento intensivo em estado grave. Não descartamos nenhuma hipótese sobre qual setor organizou esse ataque, mas exigimos que o governo da província investigue os graves eventos ocorridos.

Sustentamos enfaticamente que os eventos ocorridos, que querem violar o direito democrático à expressão popular e massiva nas ruas, devem nos fazer redobrar a aposta na luta para que a crise não seja paga pelos trabalhadores, mas por aqueles que a geraram.

Convocamos todos os cidadãos, organizações sociais, políticas, sindicais, de direitos humanos e organizações de mídia a tornarem visível e repudiarem o que aconteceu ontem no marco da luta contra o acordo com o FMI.

Assinam essa declaração: Frente de Izquierda Unidad (PTS-PO-IS-MST)- Libres Del Sur-FOL-PRML-OLPRL-COR-NMAS-Marabunta-Votemos Luchar-MTR Cuba

“Graves ataques à marcha contra o FMI em Córdoba. Grupos de homens encapuzados mostraram armas e atiraram para o ar. Um colega de 15 anos de Barrios de Pie foi esfaqueado e está sob cuidados intensivos. Todo o nosso repúdio.” Disse Nicolas Del Caño, deputado nacional do PTS pela FIT-U.

“Diante da política de entrega e ajuste, a extrema-direita se fortalece. Todo nosso repúdio. Graves ataques à marcha contra o FMI em Córdoba”




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias