×
Rede Internacional

RIO DE JANEIRO | Assédio moral: Comlurb pressiona garis do grupo de risco para volta ao trabalho sem vacina

quarta-feira 7 de abril | Edição do dia

imagem: Prefeitura Rio

Trabalhadores da Comlurb tem enfrentado assédio moral da Comlurb, violando normas trabalhistas e pressionando garis do grupo de risco à voltar ao trabalho. O esquerda diário recebeu denúncias de que o assédio moral vem ocorrendo em gerências da Zona Oeste, em Campo Grande.

Uma gari que é diabética, hipertensa e que tem obesidade sofre todo mês com a pressão do encarregado, que tenta obrigá-la a voltar à trabalhar. A trabalhadora não tem só uma, mas acumula três problemas de saúde que, cada um deles, a caracteriza como grupo de alto risco caso contraia a covid-19.

Sob condição de anonimato, a trabalhadora afirmou que todo mês na gerência pedem novamente os testes à ela, e ela tem que fazer exames pagando do próprio bolso. Em todos exames, o médico aponta que ela não pode trabalhar, mas mesmo assim os encarregados da gerência seguem com a pressão.

Leia também: Garis do RJ protestam: “a gente tá exposto a esse lixo e nossos amigos estão morrendo”

Neste mês, os encarregados desta gerência na Zona Oeste inventaram de bancar os "médicos" e dizerem que estão dando alta para a gari. A trabalhadora teve que, novamente, pagar novo exame do próprio bolso e contestar a gerência. Esta é a política da gerência da Comlurb, jogar os garis para se arriscar e morrer. E nas notas de pesar dos garis que vem morrendo pela covid-19, a empresa nem menciona que foi pela doença, pois isso mostra a responsabilidade dos gerentes pelas mortes dos garis.

Esse é um de vários dos casos de assédio moral que ocorrem na Comlurb, que obrigou os garis que não são do grupo de risco à trabalhar no feriado sem receber nada por isso.

Leia também: Garis são essenciais mas não recebem vacina de Eduardo Paes, 3 morreram em uma semana

Eduardo Paes afirmou que os garis são essenciais e por isso os encarregados não dão trégua aos trabalhadores da Comlurb. Mas, ao mesmo tempo que os garis são essenciais, não tem direito à vacina. Estão expostos à covid-19, voltam todos os dias para seus lares com medo de poderem estar trazendo a doença para dentro de casa, e não tem nenhuma previsão de serem vacinados nas próximas semanas. No calendário de vacinação, Paes diz que vacinará garis de 45 anos lá para 29/05, daqui a quase 2 meses. Por isso, trabalhadores se manifestaram hoje na prefeitura exigindo vacinação para todos trabalhadores da Comlurb.

Leia mais: Garis exigem vacinação da categoria em ato na prefeitura do Rio

Ouça e compartilhe o Podcast Peão 4.0!

Todos os dias, ouça a realidade contada a partir dos trabalhadores em 5 minutos!

💬 Quer denunciar? Mande seu relato para +55 11 97750-9596
E siga o Esquerda Diário nas redes e plataformas de streaming!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias