Política

CPI DA COVID

Arthur Lira quer preservar Bolsonaro e militares na CPI da Covid

O presidente da câmara dos deputados, Arthur Lira (PP-AL), se pronunciou novamente contra a CPI da Covid.

quarta-feira 21 de abril| Edição do dia

Foto: Divulgação / CP

Não é a primeira vez que o presidente da câmara se declara contrário à instalação da comissão. Lira já vem acumulando uma série de objeções desde o início de sua campanha para presidente da câmara, afirmando não ser este o momento de “apontar o dedo para ninguém” ou de encontrar culpados: “Não defendo a instalação de CPI, isso é nuvem de fumaça para palanque eleitoral. Os culpados já estão postos Quem tiver cometido erros vai pagar em seu devido momento, mas o tempo é de união”, anunciou Lira no esforço de atenuar a urgência da abertura do processo.

Lira justificou a sua posição argumentando que a etapa de agora é a imunização da população e não a investigação e apuração de provas. As declarações expressam uma tentativa de reverter a situação delicada que se encontra o governo federal devido às decisões de rejeição de vacinas e descumprimentos de protocolos sanitários previstos pela OMS.

A Comissão Parlamentar de Inquéritos da Covid, prevista para o dia 27, investigará, a rigor, os atos de omissão e negligência do governo Bolsonaro acerca da postura negacionista ao longo da pandemia.

É preciso dizer que essa CPI será comandada por Renan Calheiros, o mesmo que comandou o impeachment de Dilma no senado, e contará com a presença de uma maioria de senadores golpistas. Não devemos depositar nenhuma confiança de que esses senhores, que aprovam reformas neoliberais contra os trabalhadores e a população e também são responsáveis pelas barbaridades da pandemia, irão de fato investigar os crimes de Bolsonaro.

Veja também: Não é com CPI do STF golpista que derrotaremos Bolsonaro, mas com a luta dos trabalhadores




Tópicos relacionados

CPI da Covid   /    BolsonaroGenocida   /    Arthur Lira    /    Bolsonaro   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Brasília   /    Política

Comentários

Comentar