Sociedade

REPRESSÃO NO VELÓRIO DE MARADONA

Argentina: Polícia Federal e Polícia da Cidade reprimem milhares na despedida de Maradona

Restavam duas horas para o fim do velório de Diego quando se fecharam as entradas. Polícia da Cidade, Polícia Federal e Gendarmería [similar a uma polícia militar] reprimem conjuntamente. Milhares ficaram sem entrar. Há presos e feridos.

quinta-feira 26 de novembro de 2020| Edição do dia

Uma forte repressão conjunta da Polícia Federal, Polícia da Cidade e Gendarmeria [similar a uma polícia militar foi despejada contra milhares de pessoas pouco antes das 14h desta quinta (26). A repressão iniciou logo após as autoridades decidirem bloquear o acesso ao velório de Diego Armando Maradona.

O fechamento aconteceu na entrada principal para a Plaza de Mayo, na altura da Avenida 9 de Julho, quando restavam pouco menos de três horas para o fim do velório. Milhares de pessoas, famílias inteiras em muitos casos, ficaram de fora do perímetro, e protestaram por seu direito de entrar.

As imagens são claras quanto à repressão que está sendo efetuada, com a participação das forças federais e da cidade de Buenos Aires. A raiva das pessoas com a repressão é nítida. Há detidos e feridos.

Tentando descomprimir o descontento geral, o Governo nacional anunciou que o cortejo fúnebre sairá pela Avenida 9 de Julho para que as milhares de pessoas que não puderam entrar possas se despedir. Segundo a versão mais recente, o velório pode se estender até as 19h.

tradução: Rafael Campos




Tópicos relacionados

Diego Maradona   /    Repressão policial   /    Esportes   /    Argentina   /    Esporte   /    Futebol   /    Repressão   /    Sociedade   /    Internacional

Comentários

Comentar