Logo Ideias de Esquerda

Logo La Izquierda Diario

SEMANÁRIO

Aretha Franklin, a rainha do Soul

Luno P.

Aretha Franklin, a rainha do Soul

Luno P.

Neste mês de agosto ocorre o 3º aniversário de morte da rainha do Soul, Aretha Franklin. Veja aqui parte de sua discografia.

Aretha Franklin morreu na cidade de Detroit em 2018. A cantora tinha 76 anos e sofria de câncer no pâncreas. Durante décadas foi uma das figuras mais destacadas da música, tanto dos EUA como internacionalmente. Na década de 1960, tornou-se um dos grandes nomes da música negra norte-americana, sendo até hoje conhecida como rainha do soul.

Quando criança, ela começou a cantar no coro da igreja onde seu pai era reverendo. Como muitos outros artistas e expoentes da música negra nos Estados Unidos, entre os quais estão, por exemplo, Ray Charles, Aretha utilizou muitos dos recursos do gospel em suas interpretações. As tensões raciais que atravessaram estás décadas nos Estados Unidos, influenciaram profundamente sua carreira, algo que também aconteceu no caso de muitos outros artistas e expoentes da comunidade afro-americana. Já no final dos anos 60, foi um ícone da comunidade negra em seu país, com canções que falavam dos direitos civis e das mulheres.

Em 9 de abril de 1968, ele expressaria o que milhões na comunidade afro-americana sentiram no funeral de Martin Luther King Jr:

Algumas de suas canções mais reconhecidas foram I Say a Little Prayer, Respect, Don’t Play That Song (You Lied), A Deeper Love , entre muitas outras. Ao longo de sua carreira, ele ganhou 18 prêmios Grammy e vendeu mais de 10 milhões de discos.

Em 1980. participaria naquele clássico do cinema contemporâneo The Blues Brothers, filme musical do qual participam James Brown, Cab Calloway, Ray Charles e John Lee Hooker, entre outros:

Confira um pouco de sua discografia:

"Songs of Faith" (1956)

A primeira gravação de Aretha Franklin, quando tinha 14 anos. Apenas voz e piano, que ela toca. São registros das canções gospel que Aretha cantava na igreja batista na qual seu pai era pastor.

"The Electrifying Aretha Franklin" (1962)

Este álbum estabeleceu Aretha como grande cantora. Lançado pela gravadora Columbia, com produção de John H. Hammond, conhecido por seu trabalho com Billie Holiday.

"Unforgettable: A Tribute to Dinah Washington" (1964)

Aqui fica evidente como Aretha já desde jovem imprimia em sua arte toda sua personalidade. As canções famosas de outros artistas ganham novos ares em sua voz.

"I Never Loved a Man the Way I Love You" (1967)

Este foi o primeiro álbum de Aretha a liderar as paradas de rhythm’n’blues e trouxe ainda “Respect”, sua música de maior sucesso em toda a carreira.

"Aretha Now" (1968)

Aretha regrava "I Say a Little Prayer for tou" e lança um disco impecável de soul que é referência para muitos artistas ainda hoje.

"Aretha in Paris" (1968)

Abre com "(I Can’t Get No) Satisfaction", dos Rolling Stones, conta com outro grande hit da cantora, "(You Make Me Feel Like) A Natural Woman". Um grande show.

"Aretha Live in the Fillmore West" (1971)

Famoso pelo dueto com Ray Charles em "Spirit in the Dark" e por ser o único álbum ao vivo de Aretha a chegar ao topo das paradas. É também o show mais aclamado pelos fãs.

"Sparkle" (1976)

Este disco traz Aretha interpretando as músicas que na tela foram cantadas pelos atores no musical com canções de Curtis Mayfield.

"Who’s Zooming Who?" (1985)

Este álbum consta na lista dos 100 melhores álbuns da década de 80 pela revista Rolling Stones.

"A Rose Is Still a Rose" (1998)

Com participação da cantora Lauren Hill que escreveu e produziu a faixa título , também foi um álbum de grande sucesso mundial.

veja todos os artigos desta edição
CATEGORÍAS

[Carcará - Semanário de Arte e Cultura]   /   [mulheres negras]   /   [Arte]   /   [Música]   /   [Cultura]   /   [[email protected]]

Luno P.

Coordenador Geral do Centro Acadêmico do Teatro da UFRGS (CADi)
Comentários