Sociedade

VACINAÇÃO COVID-19

Após atraso na entrega e Governo não reservar 2ª dose, cidades suspendem vacinação da Coronavac

Cidades do RS, RN, PE, AL, RJ, SP e ES já apresentam falta do imunizante e adiam o programa de vacinação.

quarta-feira 28 de abril| Edição do dia

Foto: Marlon Costa/FuturaPress/Estadão Conteúdo

Cidades de diferentes estado do País suspenderam a aplicação da 2ª dose da CoronaVac pelo atraso nos novos lotes da vacina que eram previstos para este mês de abril.

A segunda dose do imunizado produzido pelo Instituto Butantã deve ser aplicado 28 dias após a segunda dose, entretanto, várias pessoas que já foram vacinadas ultrapassaram esse prazo.

Pode te interessar: Bolsonaro com seu negacionismo recusou pelo menos 11 ofertas de vacinas

Ao menos oito Estados estão com problema na vacinação, o Rio Grande do Sul é o que tem a situação mais dramática, com a falta que 40.470 doses da CoronaVac para concluir o esquema vacinal para as pesoas que receberam doses da remessa entregue em 20 de março, de acordo com dados da Secretária de Saúde identificados pelo Estadão.

No Pernambuco, das 126 mil doses que o estado iria receber essa semana para segunda aplicação da Coronavac, só recebeu 28 mil, o que deixa quase 100 mil pessoas sem a segunda dose do imunizante. Segundo a Secretária da Saúde do Rio Grande de Norte são 56,8 mil pessoas que estão com as doses atrasadas.

Essa situação é reflexo da gestão do governo Bolsonaro, por meio do Ministério da Saúde, que autorizou o uso de imunizantes reservados para segunda dose, depois recusou mais de 10 ofertas de de vacina durante a pandemia, mostrando que o governo está longe de fazer um combate racional e sério a pandemia. Enquanto a população morre por Covid-19 e sem acesso a vacinação, Bolsonaro e o Congresso aprovam a compra da vacina por empresários.

Veja também: Entre disputas do governo Bolsonaro e os demais golpistas, começa hoje a CPI da Covid




Tópicos relacionados

MORTES COVID-19   /    Vacina contra a covid-19   /    Bolsonaro   /    COVID-19   /    Governo Bolsonaro   /    Ministério da Saúde   /    Sociedade

Comentários

Comentar