Política

ELEIÇÕES 2020

Após apagão Macapá tem 2º turno entre DEM e Cidadania

Nesse dia 20 de dezembro (domingo), após quase um mês de apagão em todo o estado do amapá haverá o segundo turno das eleições municipais na capital Macapá.

segunda-feira 7 de dezembro de 2020| Edição do dia

Foto: Gabriel Penha/Photopress/Estadão Conteúdo; Erich Macias Rodrigues/Futura Press/Estadão Conteúdo

A população do Amapá sofreu com apagões durante o mês de novembro quase inteiro, onde desde o dia 3 de novembro, 89% da população sofreu com a precariedade no fornecimento de energia elétrica no estado. O tamanho descaso com a população, expressa de forma brutal nos trabalhadores mais pobres, que ficaram de fora dos rodízios seletivos de energia nos bairros, que beneficiaram somente os bairros ricos.
Após o descaso do governo estadual de Waldez Góes do PDT de Ciro Gomes, e as duríssimas repressões contra as revoltas populares, os ataques se mantiveram com o diretor da Aneel, falando sobre o aumento nas tarifas de energia, durante o apagão.

Leia Mais: Diretor da Aneel, em pleno apagão, fala em aumento de tarifas no Amapá

Depois de ficar o mês de novembro em quase completa escuridão, sem energia, devido ao enorme descaso do governo. A população do Amapá foi as urnas nesse domingo, dia 6 de dezembro.
Em Macapá, as eleições para prefeito que desde o início apontavam ser apertadas para quem iria disputar o segundo turno com o candidato do DEM, Josiel, que se manteve a frente ao final da apuração com 29,47% dos votos, e quem vai acompanhá-lo no segundo é o candidato do Cidadania, Dr. Furlan que recebeu 16,03% dos votos. O segundo turno vai ocorrer no dia 20 dezembro.
Com muitas incertezas as eleições chegaram em Macapá nesse dia 6, com três candidatos disputando uma vaga no segundo turno, para enfrentar o candidato do Democratas. Uma eleição marcada pelo o descaso do governo com a pulação, que ficou mais de 4 semanas sem energia. A onda crescente do DEM, e do famigerado “centrão”, mostra se manter, com mais uma possível prefeitura do Democratas ou até mesmo do Cidadania.

Leia Mais: Com o fortalecimento do centrão, PSDB terá maior população governada pelo país

Em um cenário contrário a briga dos partidos burgueses que disputam o segundo turno, partidos como o PT e PSOL tiveram performances muito discretas, o primeiro com 1,52% e o segundo com 3,96% dos votos, já o PSTU ficou com menos de 1% dos votos. Mostrando como o que aconteceu em todo cenário nacional, nas segundas eleições após o golpe institucional, se mantém com o giro extremo ao “centrão”.

José Samuel Alcolumbre Tobelem, Josiel, candidato do Democratas, que chega ao segundo turno das eleições no Macapá com mais de 29% dos votos, tem coligação com quase todos os partidos burgueses que compõe o “centrão”. Um dos partidos que esta apoiando essa candidatura é o próprio PDT de Ciro Gomes e Waldez Góes, onde o segundo citado é o atual governador do estado do Amapá e esteve a frente, junto com o governo Bolsonaro nos ataques e descasos a classe trabalhadora que sofreram com mais de quatro semanas sem energia. Além disso o candidato é irmão do atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que já deixou muito claro a sua preocupação com a população, ao dizer:

“O maior atingido com esse apagão chama-se Josiel Alcolumbre, que ia ganhar eleição no 1º turno, que estava caminhando para ganhar em 1º turno. Está hoje na pesquisa divulgada aí, nas nossas pesquisas internas, em 1º lugar com praticamente o dobro na frente do 2º”

Mostrando ao lado de quem esse governo vai estar e não é ao lado dos trabalhadores e sim a população dos grandes condomínios que fizeram parte do rodízio de energia elétrica, mantendo as políticas de ataques a classe trabalhadora, os sucateamentos e privatizações do maquinário publico como o que ocasionou o apagão no próprio Amapá.

Leia Mais: Para Alcolumbre, quem mais sofre com apagão do Amapá é seu irmão candidato e não a população




Tópicos relacionados

Apagão no Amapá   /    #SOSAmapá   /    Amapá   /    Amapá   /    Democratas   /    Davi Alcolumbre   /    DEM   /    Centrão   /    Política

Comentários

Comentar