Mundo Operário

CORONAVÍRUS

Ajuda do governo para os bancos pagaria renda mínima para 2 bilhões de pessoas

sexta-feira 27 de março| Edição do dia

Em meio à pandemia do coronavírus, enquanto Bolsonaro e Paulo Guedes ofereceram R$ 200,00 para trabalhadores autônomos e informais como renda mínima durante a quarentena, a Câmara dos Deputados foi lá e elevou a proposta para R$ 600,00, podendo acumular o máximo de duas por família. No cálculo, estimando 24 milhões de beneficiados, o gasto com esta "renda mínima" seria num total de R$ 14,4 bilhões mensal.

O que ninguém fala é que os Bancos estão recebendo de ajuda, do Banco Central, nada menos que R$ 1,2 trilhão, em forma de medidas econômicas que facilitam e flexibilizam as transações bancárias.

Leia aqui: Banco Central anuncia R$1,2 trilhão para salvar os bancos. Quantos testes rápidos de coronavírus poderíamos comprar com esse dinheiro?

Com este valor destinado aos bancos, seria possível estender a dita "renda mínima" para 2 bilhões de pessoas (quase 10 vezes a população do Brasil), se à dividíssemos por este ínfimo valor de R$ 600,00 por pessoa.

Visivelmente, o governo dispõe de inúmeras medidas econômicas para garantir a quarentena dos trabalhadores em condições humanas - ou seja, em condições que não sejam a de o valor que se equipara quase à uma cesta básica mensal.

Mas a desumanização dos trabalhadores é a condição para o lucro das empresas que querem continuar à funcionar colocando a vida dos trabalhadores em risco, ou dos bancos que querem lucrar horrores com a miséria do povo brasileiro. São estes daí que gravam vídeos calculando os prejuízos que a quarentena vai dar para os seus negócios, capitalistas descarados que vimos esta semana, dizendo que "vão morrer apenas uns 5 mil".

Leia mais: Deputados dão renda mínima para trabalhadores e renda máxima para os bancos na pandemia

A crise do coronavírus mostra-se uma crise da sociedade capitalista, aonde fica claro que só com os trabalhadores tomando o controle da produção é que se torna possível dar uma resposta progressista aos grandes problemas da humanidade.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Paulo Guedes   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar