Mundo Operário

Acidente no metrô de Recife e o sucateamento do transporte público

Acidente em Recife deixa mais de 60 usuários feridos e metroviários denunciam o sucateamento do metrô como pretexto para implantar a privatização do transporte público.

quarta-feira 19 de fevereiro| Edição do dia

No dia 18 de fevereiro, por volta das 5h30, dois trens da Companhia Brasileira de Transporte Urbano (CBTU) na cidade de Recife colidiram na Estação Ipiranga, deixando mais de 60 usuários feridos com escoriações e dores no corpo causadas pelo impacto, estações ao redor paralisadas e a interdição, por tempo indeterminado, da Estação Ipiranga. Não é nenhuma novidade para a população que o sucateamento oportuno do transporte público é aplicado em decorrência do objetivo do governo, tanto federal como estadual e municipal, para passar a privatização dos transportes.

Leia também:A precarização do trabalho no Brasil e suas consequências para os metroviários e a população.

“Aquela estação foi feita numa curva fechada, então tudo indica que foi problema de
sinalização. Isso é fruto da precarização, do baixo investimento. Se for confirmado que o
problema foi falta de sinalização, é porque faltam recursos para coisas básicas do metrô, que são sinaleiras, cabos. E isso entra no pacote de precarização para poder privatizar. Hoje os usuários que passavam pelas estações falavam que tem que privatizar logo, porque se vende a ideia de que privatizar significa melhorar e é difícil fazer as pessoas entenderem que privatizar é pagar duas vezes”, disse Valmir Assis, metroviário de Recife, que ainda ressaltou o quanto os trabalhadores do metrô se desdobram todos os dias diante da profunda precarização, para manter o funcionamento do metro de maneira segura para os usuários.

Os capitalistas querem que a classe trabalhadora pague pelos seus lucros, acabando com os direitos trabalhistas, a aposentadoria, e usam do desemprego como pressão para que os trabalhadores sobrevivam com a miséria de uma vida cada vez mais precária e correndo mais risco de vida com a precarização dos serviços públicos e o aumento da violência.

Por isso é tão importante a aliança dos trabalhadores do metrô com a população, lutando juntos por um transporte público de qualidade, com segurança, passagens mais baratas e expansão das linhas para o acesso a regiões periféricas. É preciso lutar contra o sucateamento do metrô e barrar qualquer tentativa de privatização do transporte que deve existir em prol da classe trabalhadora.

Veja aqui: As principais batalhas dos companheiros do Movimento Nossa Classe no Metrô da Cidade de São Paulo.




Tópicos relacionados

Mundo Operário

Comentários

Comentar