Sociedade

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Absurdo! Professor de Direito afirma em aula que as vítimas "colaboram" com o estupro

Em mais um caso que escancara a misoginia e violência machista, um professor de Direito de uma universidade particular em Ourinhos e delegado aposentado afirmou em aula o absurdo de que as vítimas de estupro colaboram com o crime

terça-feira 20 de abril| Edição do dia

Foto: Reprodução

Fábio Alonso, o dito cujo, também é coordenardor do curso. Com um discurso que é amplamente difundido pelos seguidores de Bolsonaro, o "professor" exala reacionarismo e diz que a mulher colabora com o crime pela roupa que usa e ainda chama de "brincadeira".

"Vamos pensar: o que é mais fácil estuprar? Uma freira de hábito ou aquela menininha com a cinta larga? Fala para mim. Que vítima colabora mais com a prática do crime de estupro? Eu estou falando em tom de brincadeira, mas eu quero que vocês imaginem isso“, disse durante a aula.

Não contente com os absurdos proferidos, ele ainda alega que a "mulher submissa" apanha menos.

"Quem apanha mais? A mulher passiva, que fica quietinha, que vê quando o marido chegou de cara cheia, ou aquela que começa ‘bebeu de novo, trabalhar que é bom você não quer, né seu vagabundo?’ Quem apanha mais: a quietinha ou a bocuda?”

Os alunos do Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos (Unifio) soltaram uma nota de repúdio pedindo o afastamento do professor e denunciando a universidade por negligenciar o caso. Segundo os alunos, a Universidade "lavou as mãos" ao defender a liberdade de cátedra para justificar a inação.

Veja também: É urgente um Plano Nacional de Emergência contra a violência às mulheres

Não é apenas um caso isolado. A violência contra a mulher é avalizada por governos como o de Bolsonaro e também pelo judiciário misógino, como o foi no caso recente de Mari Ferrer, onde pudemos ver toda a humilhação que o Estado impõe à mulher.

Veja vídeo com trecho da aula no momento da fala e o link com a carta dos estudantes na íntegra:




Tópicos relacionados

Supremo Tribunal Federal   /    Bolsonaro   /    Machismo   /    Estupro   /    Mulher   /    Sociedade   /    Violência contra a Mulher

Comentários

Comentar