SISTEMA PENITENCIÁRIO

Absurdo: Governo de SP é denunciado por superlotação e racionamento de agua em presídios

Relatório à Comissão Interamericana de Direitos Humanos aponta que 86% dos presídios vistoriados racionam água e 93% estão superlotados. Detentos relatam ter água disponível por 1 a 2 horas por dia mas governo de SP nega.

quarta-feira 28 de abril| Edição do dia

Foto: Daniel Marenco / Agencia RBS

A Defensoria Pública denunciou o estado de São Paulo à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) por "dezenas de violações de direitos constatadas em inspeções feitas em unidades prisionais durante a pandemia da Covid-19".Os relatórios, feitos após inspeções surpresa em 21 presídios pelos defensores, mostram que 85,71% das unidades prisionais fiscalizadas no estado durante a pandemia racionam água, em algumas delas, o uso de água só é liberado por uma a duas horas por dia.

Sobre o assunto: 83% de familiares e outros apoios não tem informações sobre vacinação em detentos.

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), que administra os presídios no estado, negou todas as acusações, afirmando que as denúncias da Defensoria "são improcedentes", que não há racionamento de água nas unidades e há a entrega regular de equipamentos de higiene e medicamentos aos detentos. Segundo a pasta, casos de falta de água foram "isolados", ao mesmo tempo em que mortes por COVID-19 no sistema carcerário crescem 190% em 2021.

Pode interessar: A violência sexual e o sistema penal.

O documento ainda será analisado e processado pela Comissão, que deverá avaliar se aceita a denúncia e a proposta de audiência e pedirá explicações ao governo de São Paulo e ao Brasil sobre o caso.




Tópicos relacionados

Desigualdade   /    Superlotação de presídio   /    COVID-19   /    Presídio   /    Prisão   /    Sistema Penitenciário    /    João Doria   /    São Paulo   /    Falta d’água

Comentários

Comentar