Sociedade

ENCHENTES

Abandonado pela Prefeitura de Crivella, Rio de Janeiro sofre fortes alagamentos nesta terça

A chuva forte que cai no Rio desde a noite de segunda-feira provoca alagamentos em vários pontos da cidade. Sirenes das favelas da Rocinha, da Formiga e do Sítio Pai João foram acionadas alertando para o risco de deslizamentos.

quarta-feira 23 de setembro| Edição do dia

Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo

O cidade do Rio registrou nas últimas 24 horas um acumulado de chuva maior do que a média histórica para todo mês de setembro. Segundo o Centro de Operações Rio (COR) a estação meteorológica do Alto da Boa Vista registrou 183,2mm de chuva até o fim da manhã. A média histórica para a estação é de 148,3mm.

A chuva forte que cai no Rio desde a noite de segunda-feira provoca alagamentos em vários pontos da cidade. Sirenes das favelas da Rocinha, da Formiga e do Sítio Pai João foram acionadas alertando para o risco de deslizamentos.

Diversas vias da cidade estão interditadas e muitas apresentam bolsões d’água. Há alagamentos na região da Muzema, Vargem Grande e Jardim Maravilha. Três vias na zona sul da cidade estão interditadas.

Os trabalhadores que moram nas zonas mais pobres do Rio de Janeiro são aqueles mais duramente afetados com os intensos temporais de chuvas como o de hoje. Muitos operários perdem suas casas, móveis e em casos mais trágicos perdem seus familiares soterrados ou arrastados. Não é a primeira vez que o Rio de Janeiro se encontra em um rio de lama e sujeira, isso escancara o descaso do Prefeito para com a população, que pode-se ver através da falta de investimento público da Prefeitura em obras que garantem prevenção às enchentes.

O resultado do desastre das chuvas não é natural e poderia ter sido prevenido, caso houvesse interesse da prefeitura municipal em investir em infraestrutura. Seria necessário uma reforma urbana que desse condições de moradia e reestruturasse as comunidades mais pobres vitimadas pela chuva, enchentes e deslizamentos. Ao invés disso, Crivella preferiu jogar a culpa nos próprios moradores destas áreas, vítimas do descaso da prefeitura e do Estado.

Chega do nosso dinheiro indo para manter o interesse político próprio do Crivella! Obras públicas já para a prevenção de enchentes, basta que trabalhadores e trabalhadores percam suas casas e vidas soterrados e carregados pela água da chuva enquanto Crivella e os empresários têm chuvas de dinheiro e lucro.

As condições climáticas são naturais e sempre vão acontecer mas ruas alagadas, casas desabando e pessoas morrendo é de responsabilidade do Witzel e Crivella, que não garantem condições mínimas de moradias, qualidade de vida e segurança.

Veja também: Eleições no Rio: qual caminho para que os capitalistas paguem pela crise?

Com informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

Alagamento   /    Marcelo Crivella   /    Sociedade   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar