Educação

PROFESSORES DE SP

ATENÇÃO! Doria e Rossieli tentam impor antidemocraticamente as PEIs ao ensino estadual

Veja declaração de Maíra Machado, professora e diretora pela oposição da APEOESP, sobre mais esse ataque de Doria e Rossieli contra a educação no Estado de São Paulo.

sexta-feira 2 de outubro| Edição do dia

Essa semana, o governo do Estado de São Paulo tenta impor as escolas de tempo integral, conhecidas como PEIs, em momento eleitoral e quando a categoria não está em aula presencial para debater o tema, criando mais dificuldades para barrar esse ataque. João Doria (PSDB) e seu secretário Rossieli Soares, de maneira totalmente antidemocrática, tentam usar a discussão sobre o ensino integral para fazer demagogia com a população.

Do “dia para noite” o governo estadual decidiu que, em poucos dias, 213 escolas estaduais devem aderir obrigatoriamente ao projeto que não carrega em nada a discussão da melhoria para o ensino público e à população, confundindo propositalmente o que é educação integral com escola em tempo integral. Isso porque o que o governo quer é aumentar a permanência dos alunos nas escolas, com pouquíssima estrutura, as vezes até sem água ou sem lousas, e professores e trabalhadores da educação em um trabalho muito mais exaustivo, uma vez que trabalharão mais e não possuem dentro das escolas o necessário para poder atender todas as demandas já existentes na educação de crianças e jovens.

Os conselhos de escolas precisam se reunir em todo o Estado de São Paulo e que a APEOESP não fique na paralisia, fazendo um amplo chamado para que toda a base de professores participe da próxima Assembleia virtual no dia 16 de outubro. A direção majoritária do sindicato teima em não fazer isso, sendo que acreditamos que esse é um momento de articulação da categoria para barrar todos esses ataques do governo - como agora a imposição das PEI, o retorno às aulas sem consentimento das comunidades escolares e o PL 529 privatista do PSDB - que junto com todo o regime, está tentando descarregar essa crise nas costas dos trabalhadores e da juventude.

Nós do Movimento Nossa Classe Educação acreditamos e iremos atuar para que as escolas que estão sob esse ataque se coordenem, soltem cartas, façam manifestações, reuniões conjuntas. Não podemos deixar o governo impor por capricho as PEIs e usar de demagogia por interesse eleitoral e pelo profundo descaso que possuem pela vida da nossa classe.

Veja abaixo declaração de Maíra Machado:




Tópicos relacionados

escolas públicas   /    PL 529 de Doria   /    Escolas   /    Nossa Classe Educação   /    Apeoesp   /    João Doria   /    CUT   /    Educação   /    São Paulo   /    Educação

Comentários

Comentar