Sociedade

CORONAVÍRUS

MANAUS: Câmara frigorífica volta a ser usada para vítimas de Covid

O sistema de saúde de Manaus começa 2021 em colapso. A imagem acima mostra uma câmara frigorífica instalada novamente em hospitais da cidade, devido o grande número de mortos. Uma imagem brutal que explicita a situação desesperadora e o descaso do governo com a saúde pública da cidade. Além das limitadas vagas nas UTIs dos hospitais públicos e privados, o sistema funerário está entrando em colapso.

quarta-feira 6 de janeiro| Edição do dia

O prefeito recém empoçado, David Almeida (Avante), admitiu, nesta terça (5), admitiu que Manaus vive um novo colapso no sistema de saúde. Entretanto, a medida apresentada pelo atual prefeito pouco ou nada se difere da desastrosa gestão anterior de Arthur Virgílio Neto (PSDB), prometendo abrir de imediato 6 mil novas covas e ao todo 22 mil valas comuns para vítimas de covid. Com essas medida, David espera atender a demanda de funerais até no máximo 3 meses, deixando "no ar" a possibilidade da cidade protagonizar cenas ainda mais brutais.

A capital amazonense já confirmou mais de 84 mil casos e ultrapassou as 3 mil mortes. Segundo os dados da FVS (Fundação de Vigilância em Saúde) do Amazonas, 91,84% dos leitos de UTI estão ocupados, sendo a maioria desses leitos concentrados na capital. Frente a isso, David Almeida decretou situação de emergência em Manaus por 180 dias, o que permite, entre outras coisas, a contratação emergencial de trabalhadores sem garantir todos direitos trabalhistas. Assim, avança a precarização da saúde pública da cidade, afetando principalmente os trabalhadores e o povo pobre da cidade.

O Brasil se aproxima das 200 mil mortes causadas pelo novo coronavírus, quase 8 milhões de casos confirmados. Bolsonaro, seu governo e sua política negacionista são os grandes responsáveis por esse desastre. Ao mesmo tempo que políticos de direita, como Dória e Maia, seguem fazendo demagogia com falsas promessas, ao passo que reabriram toda a economia sem as devidas condições sanitárias. Ambos preocupados com o lucro dos capitalistas, enquanto os trabalhadores pagam a conta dessa crise.

Em Manaus, David Almeida segue os passos de seu antecessor tucano. Como disse em sua cerimônia de posse:

"É uma honra muito grande que o senhor (Arthur) me concede, espero ser um prefeito dedicado. Desejo êxito e sucesso ao senhor, que é um dos grandes expoentes da política do nosso Estado."

Arthur é responsável pelo caos no sistema de saúde de Manaus. Com o sistema de saúde colapsado em maio de 2020, logo em junho começou a reabertura econômica sem garantir qualquer condição sanitária aos trabalhadores. Em agosto já estava com o conjunto das escolas públicas e privadas com aulas presenciais. Além de todos esses atentados, foi ele que inaugurou o enterro de vítimas de covid em valas comuns.

David Almeida conhece bem o legado do antigo prefeito. Agora, seguirá à risca os passos da antiga gestão, abrindo valas ao invés de garantir condições sanitárias, ampliação dos leitos de UTI e demais medidas urgentes. Um exemplo nítido e brutal da demagogia que fazem esses partidos podres como Avante, PSDB e DEM, ao se colocarem como oposição ao negacionismo de Bolsonaro, mas na prática seguem empilhando corpos em câmaras frigoríficas.

Imagem: SANDRO PEREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO




Tópicos relacionados

descaso   /    Negacionismo   /    COVID-19   /    Pandemia   /    Amazonas   /    Sociedade

Comentários

Comentar