Logo Ideias de Esquerda

Logo La Izquierda Diario

SEMANÁRIO

“A love supreme”: foi descoberta uma versão inédita da obra-prima de John Coltrane

Meke Paradela

“A love supreme”: foi descoberta uma versão inédita da obra-prima de John Coltrane

Meke Paradela

Uma versão inédita do saxofonista será lançada em outubro: segundo a crítica, a gravação de A Love Supreme é a maior descoberta do jazz das últimas décadas.

Ele faria 95 anos neste ano. Mas as viradas da vida queriam que Trane, um dos maiores indiscutíveis do jazz, chegasse somente aos 40 anos de idade. De qualquer forma, nesses poucos anos ele conseguiu se tornar um dos músicos mais relevantes e influentes na história do jazz. Talvez seja por isso que a descoberta de uma gravação ao vivo em Seattle de A Love Supreme, sua grande obra-prima, seja tão relevante. Lançada em 1965 por seu quarteto, é uma suite de quatro partes composta por Acknowledgement, Resolution, Pursuance e Psalm e é um dos álbuns fundamentais do jazz.

Até agora pensava-se que a obra só tinha sido gravada uma vez ao vivo, para além da versão de estúdio. Graças a várias investigações, foi possível encontrar a viúva de Joe Brazil, músico e amigo de Coltrane que gravou uma série de apresentações no início de outubro de 1965 no clube Penthouse de Seattle. As fitas foram preservadas por meio século e somente após sua morte, em 2008, foram encontradas em seus arquivos.

"O que é notável é que as fitas dessa época costumam ser danificadas com o passar dos anos pelo calor ou pela umidade, ou simplesmente empilhadas horizontalmente", disse o engenheiro Kevin Reeves em um comunicado à imprensa. "No entanto, essas fitas estão em excelentes condições e os resultados estão entre as melhores gravações amadoras de John Coltrane em que tivemos o prazer de trabalhar."

O dia da gravação também é particular porque foi uma das poucas vezes em que o saxofonista tocou as quatro músicas e com a banda original que as tocou em estúdio. Também é de maior duração graças aos solos, já que foi uma época em que o músico estava mais relacionado a uma forma mais espiritual e catártica de sentir e viver sua música.

Coltrane nasceu em 23 de setembro de 1926 e morreu dois anos após a gravação, em 17 de julho de 1967, por câncer de fígado. Sua carreira musical foi marcada pela criatividade constante e esteve sempre na vanguarda com estilos de jazz posteriores ao bop, como hard bop, free jazz e jazz modal. Os solos eram uma de suas características centrais, pois eliminavam qualquer fronteira temporal e ele podia ficar 30 minutos na conexão com o sax.

Polêmico e incompreendido, nas palavras de Miles Davis, “Coltrane expressou por meio de sua música o que Rap Brown e os Panteras Negras diziam em palavras. O que os últimos poetas e Amiri Baraka disseram em sua poesia. Ele era sua tocha no jazz. Ele tocava o que eles sentiam e expressavam nas manifestações que aconteciam todos os dias. Era a revolução para os jovens negros. Coltrane era o seu símbolo, o orgulho, o lindo orgulho revolucionário ”.

veja todos os artigos desta edição
CATEGORÍAS

[Legado artístico]   /   [Artistas]   /   [Carcará - Semanário de Arte e Cultura]   /   [Arte]   /   [Música]   /   [Cultura]

Meke Paradela

@mekepa
Comentários