×

SAÚDE | “A gente recebe uma máscara N95 pra usar o mês todo” disse residente do HUPE-UERJ

Residentes do Hospital Universitário da UERJ, Zona Norte do Rio, desabafou em relato dado ao Esquerda Diário. Os residentes do Hospital fizeram uma manifestação na manhã desta segunda(19) na porta do hospital exigindo a vacinação e o pagamento das bolsas-salários que se encontram atrasadas, além de EPI’s.

segunda-feira 19 de abril | Edição do dia

O Esquerda Diário recolheu relatos no ato hoje(19) pela manhã do Dia Nacional de Lutas dos Residentes que aconteceu no HUPE no Rio de Janeiro:

“Estamos aqui enquanto residentes, somos estudantes mas somos trabalhadoras não temos garantia de vacina, eu consegui tomar a primeira dose no início de fevereiro mas depois de assinar diversas listas aqui na UERJ dizendo que nossos nomes iam pra vacina, iam pra lista de vacinação, mas isso não aconteceu até hoje, meados de abril. Eu consegui tomar a vacina porque eu me virei pra conseguir encontrar um lugar que vacinasse né, eu fui em são gonçalo que estava vacinando profissionais de saúde e outros profissionais da mesma forma e a gente vem aqui se expõe, entra em UTI, entra em enfermaria atendo no ambulatório, também a distribuição de EPI’s também não é regular por que a gente recebe uma máscara N95 pra usar o mês todo, e com a exposição que a gente tem essa máscara com certeza deveria ser distribuídas em maior quantidade e a gente tá tendo atraso na bonificação do Ministério da Saúde, diversos erros, atrasos, não tem justificativa desses erros agora que estão se mobilizando, mas enfim cortes na nossa bonificação durante as nossas férias e parece que em outros programas isso não acontece, e ta acontecendo aqui no programa pelo menos de Serviço Social.”

Outro residente relatou:
“É e aí com relação a bonificação a gente não tem uma garantia porque ela pode ser suspensa a qualquer momento, e isso seria uma forma de tá estimulando a gente, apesar de tudo né, que a gente vem enfrentando, a falta de EPI, sendo desconsiderado com relação à vacinação, existem também profissionais que não são residentes, já do corpo do hospital que tiveram essa dificuldade pra vacinação e o que a gente né, enfrenta é isso. Estar dentro de espaços seja nas enfermarias, seja a nível de ambulatório correndo risco de contaminação, de levar, de disseminar o vírus pras nossas famílias, e pras pessoas que a gente convive, então assim é uma situação que precisa de um olhar realmente considerando que somos profissionais de saúde, não apenas estudantes.”

Mais um expressa um pouco o que foi o dia de hoje:
Sou residente de serviço social aqui do Antonio Pedro, e hoje a gente ta paralisado aqui no hospital, ta tendo uma mobilização reivindicando melhores condições de trabalho pros residentes que é uma categoria que ta de frente no combate a pandemia mas que não tem tido os mesmo direitos que os demais profissionais a gente sabe que das condições que profissionais da saúde tão trabalhando mas as condições dos residentes parecem que tão piores ainda, a gente vê algumas categorias de residentes como os médicos sendo priorizados na vacinação enquanto outras categorias de outros profissionais ainda não são vacinados, além disso a gente tem uma carga horária muito alta e a gente nem sempre tem a capacidade de colocar nossas pautas e nossas reivindicações nos espaços por a gente também ser estudante e ser trabalhador, mas nós somos profissionais como qualquer outro, então a gente tá aqui, tentando dialogar com a população, expor o que ta acontecendo com a gente e a gente espera que tenha gente apoiando e ouvindo a gente e ajudando a compartilhar nossas pautas.

💬 Quer denunciar? Mande seu relato para +55 11 97750-9596
E siga o Esquerda Diário nas redes e plataformas de streaming!

Quer receber as principais notícias dos trabalhadores do Brasil e do Mundo no seu Whatsapp? Inscreva-se no link bit.ly/ZAP_do_ED




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias