ELEIÇÕES 2020

5 motivos para o PSOL não se coligar com a REDE em Santo André

Publicamos (03) o posicionamento da pré-candidata a vereadora Maíra Machado sobre a possibilidade de coligação do PSOL com a rede em Santo André. O grupo majoritário do PSOL Santo André que defende a coligação, diz que é em nome de combater a direita e a extrema direita, nesse artigo mostramos o porque se coligar com a REDE e partidos burgueses vai na contramão de qualquer combate à extrema-direita.

sexta-feira 4 de setembro| Edição do dia

Longe de combater a direita e a extrema direita, colocamos 5 motivos que mostram que a REDE ajudou a fortalecer a direita e a extrema direita em Santo André, sendo um enorme erro a proposta de coligação que leva a frente o grupo majoritário do PSOL.

1- A REDE se coligou, ajudou a eleger e fez parte da gestão de Paulo Serra (PSDB) em Santo André

Em 2016 a REDE sustentabilidade se coligou com o PSDB de Paulo Serra e contribuiu com sua eleição para prefeito em Santo André. Em 2018 o mesmo Paulo Serra apoiou Bolsonaro para a presidência seguindo o movimento de BolsoDória e todo o PSDB para se apoiar nas eleições do presidente de extrema direita.

O oportunismo da REDE enquanto um partido completamente alheio aos interesses dos trabalhadores, mas completamente disposto a qualquer interesse dos capitalistas que descarregam o peso da crise nas nossas costas é próprio do partido que agora quer aparecer como oposição a Paulo Serra, mas como vimos isso não é verdade, inclusive participou do governo de Paulo Serra.

2- Paulo Serra apoiou Bolsonaro em 2018

O atual prefeito do PSDB em Santo André declarou seu apoio a Bolsonaro nas eleições de 2018. Seguindo a maioria dos candidatos do PSDB que queriam surfar na popularidade da extrema direita , como Dória e tantos outros, Paulo Serra deu seu apoio público para ajudar eleger Bolsonaro que hoje ataca como pode a classe trabalhadora brasileira. O mesmo presidente negligente que chamou a pandemia de "gripezinha" e que já custou a morte de mais de 120 mil pessoas.
Também o que agora está a frente, junto com Paulo Guedes, na reforma administrativa que ataca diretamente a estabilidade dos servidores. Ou seja, Paulo Serra apoiou aquele que mais é o principal inimigo da classe trabalhadora hoje.

Se o PSOL quer ser consequente em sua luta contra Bolsonaro é um enorme erro se coligar com a REDE que se coligou com quem ajudou a elegê-lo.

3- A REDE apoiou o golpe institucional

Lembremos que em 2016, Marina Silva disse que o impeachment não era golpe. Depois de apoiar Aécio Neves (PSDB) para a presidência em 2014, apoiou toda a operação do golpe institucional. em um momento que o imperialismo queria ataques mais profundos do que os que o PT já vinha fazendo. A REDE apoiou o golpe arquitetado pelo imperialismo e todos os setores reacionários, que rapidamente se traduziram em mais ataques a classe trabalhadora como foi com a reforma trabalhista, o teto de gastos e a reforma da previdência.

4- A Rede apoiou a prisão do Lula

A prisão do Lula tinha como objetivo claro retirar um direito democrático elementar da população, para colocar os candidatos que a burguesia queria. Como Alckmin, também do PSDB de Paulo Serra, candidato favorito da burguesia não emplacou, Bolsonaro se elegeu. Bolsonaro é filho do golpe institucional e da prisão de Lula. Duas coisas que a REDE apoiou.

5-A REDE apoiou a Lava-Jato.

A REDE não só apoiou o golpe institucional, mas também a Operação Lava-Jato que foi toda a articulação de um setor do judiciário com Moro como uma das principais figuras, não só para prender Lula, mas para avançar com suas arbitrariedades contra os trabalhadores, tirando um elemento democrático básico que era o direito da população votar em quem quiser em 2018.

Também é a partir da Lava-Jato que vemos os interesses imperialistas entrarem em empresas como a Petrobras, com claro objetivo de avançar em diversas privatizações. Vemos isso claramente com a venda de refinarias e pontos de extração da Petrobras para empresas como a Shell.

É uma falácia o discurso de setores do PSOL, que a coligação com a REDE tem o objetivo de combater a direita e a extrema direita em Santo André. Na verdade, a REDE ajudou a chegarmos na atual situação que temos como prefeito Paulo Serra em Santo André um representante de Dória em nossa cidade e responsável por diversos ataques, também ajudou a chegar em uma situação nacional em que somos governados por Bolsonaro e toda sua corja.

Nós, sim, queremos nos unir contra a extrema direita e a direita, mas não com aqueles que são ou já foram seus aliados como é a REDE. Queremos nos aliar às milhares de mulheres, negros, LGBT’s e toda a classe trabalhadora. Isso sim é capaz de derrotar a extrema direita e todo seu projeto contra a população trabalhadora.




Tópicos relacionados

PSOL Santo André - SP   /    Paulo Serra   /    Santo André   /    Eleições 2020   /    Jair Bolsonaro   /    PSDB   /    Rede Sustentabilidade   /    PSOL

Comentários

Comentar