Política

ELEIÇÕES NATAL 2020

5 provas de que Kelps Lima (Solidariedade - RN) é inimigo dos trabalhadores

As eleições de Natal estão marcadas pela disputa entre a direita e a extrema-direita, com a maioria dos candidatos, de uma forma ou de outra propondo maior alinhamento com o governo Bolsonaro, herdeiro do regime do golpe institucional. Na oposição à reeleição de Álvaro Dias (PSDB), que também está buscando aproximar o governo Bolsonaro do município, aparecendo com obras de moradia e saneamento no momento em que ele é o favorito nas pesquisas, como segundo colocado, aparece Kelps Lima (Solidariedade), que faz demagogia se propondo como “alternativa gestora” e “contra a velha política” das famílias oligarcas que comandam a prefeitura e o estado. Mas a verdade é que Kelps reivindica todo legado de ataques aos trabalhadores do golpe e que beneficiam essas famílias políticas. Abaixo elencamos algumas provas.

domingo 18 de outubro| Edição do dia

1 - Kelps Lima também é responsável pela precarização dos transportes e fortalecimento da máfia

Kelps Lima está completamente distante de qualquer coisa que seja uma novidade na política natalense, foi parte da gestão de Micarla de Souza (PV), conhecida como a pior prefeitura na história da cidade do sol, como secretário de Transporte e Trânsito Urbano foi responsável pela remoção das estações de transferência de ônibus. Se o Seturn (Sindicato das empresas de transportes urbanos), junto ao atual prefeito Álvaro Dias, impuseram uma série de modificações nas rotas de ônibus que já estão significando prejuízo para a maioria da população, Kelps Lima foi parte de construir esse legado de sucateamento da vida dos natalenses, especialmente os trabalhadores.

2 - Kelps Lima defende com unhas e dentes a Polícia Militar, a mesma que assassinou Geovane Gabriel

No dia 16 de setembro, Kelps Lima, durante sessão da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, que a Polícia Militar do estado estaria sendo alvo de “doutrinação ideológica”, por supostamente estarem recebendo orientações para “não interferir em manifestações realizadas por grupos de esquerda no estado”. Natal é a cidade em que Gabriel, um jovem negro de 18 anos, que desapareceu no dia 5 de junho após ter saído de casa para a casa de sua namorada em Parnamirim, onde nunca chegou e nem retornou. Testemunhas, que não quiseram se identificar, relataram que viram Gabriel sendo abordado pela Polícia Militar antes do seu desaparecimento e depois ficou comprovado que foi pela atuação da PM, afinal um dos policiais até chegou a afirmar, escancarando o racismo dessa instituição, que "confundiu" seu cabelo e sua pele negra com assaltante. Este não é um fato isolado em um estado em qual 9 a cada 10 assassinatos são de jovens negros.

3 - Kelps Lima é a favor da reforma da previdência de Bolsonaro

Não, não é só porque ele se colocou contra a votação na calada da noite (!) da reforma da previdência estadual da governadora Fátima Bezerras (PT) que ele é contra esse ataque brutal às trabalhadoras e aos trabalhadores potiguares propriamente dito. Kelps Lima, mais uma vez se apoiando nas mazelas da população, quis colar sua posição de direita junto à revolta dos servidores do RN por puro oportunismo, porque apoia que aconteça a aprovação da reforma da previdência, inclusive exaltando os pontos da reforma de Bolsonaro, inclusive porque é do mesmo partido que Paulinho da Força, deputado federal e presidente nacional da central sindical Força Sindical. Paulinho da Força, em pleno 1º de Maio do ano passado, assumiu sua linha traidora enquanto sindicalista, revelando a posição de todos os políticos de seu partido: “Se não temos força para parar, a rua nos dá força de negociação para fazer uma reforma justa, que garanta direitos e combata privilégios”. Então, não é como se Kelps Lima estivesse escancarando que Fátima Bezerra quis se aproveitar da pandemia para dar seguimento à aprovação da reforma, que ataca os servidores e, inclusive, os da saúde, linha de frente no combate ao coronavírus, e que não se deve descarregar a crise nas costas dos trabalhadores e da população: Kelps Lima defende a reforma da previdência.

4 - Kelps Lima não se importa com as milhares mortes da pandemia

Para beneficiar seus amigos empresários, obviamente! E fez isso sem nem pensar uma vez na situação de desemprego pela qual passa a população potiguar e natalense, pelas famílias que perdem suas rendas com as demissões em meio à pandemia. Kelps usou de demagogia com os milhares de trabalhadores de academia de ginástica que ficaram sem garantia de salários, com suspensão de contratos, com o fechamento das academias. Os governos estadual e municipal deveriam ter garantido licença remunerada para os serviços não essenciais e proibição das demissões, e não que os parlamentares propusessem medidas que, na verdade, beneficiam os empresários e colocam os trabalhadores em risco.

5 - Kelps Lima é golpista
A bancada do partido de Kelps (Solidariedade) votou por unanimidade a favor do impeachment na Câmara dos Deputados em 2016. O regime político do golpe institucional de 2016, do qual Bolsonaro é o herdeiro e que hoje vemos que existe um pacto para a aprovação dos ataques, veio para descarregar a crise capitalista nas costas dos trabalhadores, mulheres, negros e LGBT, como se escancara na aprovação das reformas trabalhistas e da previdência e agora com a reforma administrativa. Como se isso não bastasse, Kelps Lima afirmou no debate da Band que “a relação com o presidente Bolsonaro tem que ser valorizada para conquistar recursos”. Kelps Lima é do partido de Wladimir Costa, ex-deputado federal, que fez uma tatuagem ridícula em homenagem a Michel Temer. Kelps Lima é escória golpista.

E como podemos nos enfrentar com Kelps e a extrema-direita bolsonarista?

É com a proibição das demissões, o fim da Lei de Responsabilidade Fiscal, o Teto de Gastos, e o não pagamento da dívida pública (para usar o valor gasto com a dívida para financiar medidas como um plano de obras públicas, que gere emprego e renda e ataque o problema da falta de moradia, saneamento, luz, através de uma reforma urbana radical controlada pelos trabalhadores e pela população em oposição a proposta de Plano Diretor de Álvaro Dias), pela defesa da estatização do sistema de transportes de Natal sob controle dos rodoviários e usuários contra a máfia dos transportes, é que teremos uma Natal dos trabalhadores, sem confiança alguma em qualquer golpista, como está provado ser o demagogo de direita Kelps Lima. Por isso, as batalhas natalenses não passam por fora do cenário nacional, é necessário que, diante desse pacto do regime, a oposição seja de fato uma força material por Fora Bolsonaro, Mourão e os golpistas, pela organização independente dos trabalhadores, da juventude, de mulheres, de negros, de LGBT unificados para barrar os ataques.

Para enfrentar Kelps, Álvaro Dias e os bolsonaristas, não podemos fazer como o PT, que quer oferecer uma alternativa de governo dentro desse regime do golpe, como vemos com as coligações com o PSL em mais de 140 municípios do país e com o MDB de Temer em 606. Em Natal, vemos a frouxa resposta do candidato à prefeitura, atual senador Jean Paul Prates (PT), para a censura, feita pela Justiça, de sua propaganda contra Álvaro Dias, ainda mais em um cenário no qual nossas liberdades democráticas estão sob ataque pelo autoritarismo judiciário, que, no último dia 13, decidiu punir a jogadora de vôlei Carol Solberg apenas por ser porta voz do grito “Fora Bolsonaro”. E as alianças eleitorais que o PSOL vem fazendo tampouco ajudam a fortalecer um polo contra Bolsonaro, Mourão e os golpistas, chegando até a defender fortalecimento da Guarda Municipal. Parte da nossa inspiração é o que esteve nas bocas e nos corações de setores do ressurgimento do Black Lives Matter nos EUA e das juventudes colombiana e chilena contra a instituição policial, por sua abolição.

Ao se refletir a situação municipal se constatar as expressões nacionais na cidade, nós do Esquerda Diário queremos discutir com cada estudante, trabalhador, e também abrir diálogo com a esquerda que se reivindica socialista, sobre essas ideias para levantar uma força militante revolucionária para batalhar por uma Natal dos trabalhadores! Contra Álvaro Dias, Kelps Lima, o bando de candidatos bolsonaristas. Por isso também propomos conformar essa força natalense para ser parte de lutar nacionalmente para impor uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana, que permita debater cada importante tema nacional, como a entrega do petróleo e do minério, a dívida pública, contra os privilégios dos políticos e do Judiciário, e possa reverter cada ataque aos direitos trabalhistas e sociais não somente do governo Bolsonaro mas de todos governos anteriores.




Tópicos relacionados

Eleições 2020   /    Natal   /    Solidariedade(SD)   /    Rio Grande do Norte   /    Política

Comentários

Comentar