Juventude

ESTUDANTES USP

29M: Centro Acadêmico da Pedagogia da USP chama forte bloco no ato em defesa da educação

Na última segunda-feira, 24, estudantes da Faculdade de Educação da USP, reunidos em Assembleia, deliberaram pela conformação de um bloco para o dia 29 contra os ataques de Bolsonaro e outros atores do regimes responsáveis pelo desmonte da educação e pela precarização do trabalho.

Clara Gomez

Diretora do Centro Acadêmico Professor Paulo Freire

terça-feira 25 de maio| Edição do dia

O Centro Acadêmico Professor Paulo Freire, impulsionado pela juventude Faísca e por independentes, impulsionou nesta segunda-feira uma assembleia para discutir a organização dos estudantes para o próximo período. Frente o anúncio de fechamento das federais, o retorno inseguro às aulas e o aprofundamento das privatizações, que são reflexos da agenda econômica aplicada desde o golpe institucional de 2016, o Centro Acadêmico discutiu a necessidade de conformação de uma luta contra o regime político em curso no país.

A expressão disso foi a escolha pelo mote "FEUSP com os professores em greve! Abaixo os cortes na educação, vacina para todos e permanência já! Fora Bolsonaro e Mourão!". Os estudantes expressaram apoio à luta dos professores em greve, ao passo que se colocaram contra Bolsonaro e outros atores que são parte desse regime, como os militares. Ao longo da discussão, membros da Juventude Faísca defenderam a necessidade de se organizar e confiar nas forças da juventude em aliança com os trabalhadores, sem que sejam fortalecidos setores do regime que hoje tentam se apresentar como oposição racional a Bolsonaro, mas que estão da linha de frente da aprovação de uma agenda econômica neoliberal contra os nossos direitos, que foram parte de levar Bolsonaro à presidência e que nesse sentido são responsáveis pela catástrofe sanitária também.

Tudo isso, foi em contraposição à estratégia puramente institucional defendida por companheiros do PSOL - Afronte que nesse espaço de auto-organização dos estudantes colocaram como horizonte confiar apenas na mesma justiça brasileira que foi parte do golpe de 2016 e que deixa presos milhares de jovens negros brasileiros. Em base ao conteúdo da discussão, os companheiros defenderam que no limite toda a juventude que vive diariamente os efeitos do desemprego e dos postos precários de trabalho confiem cegamente naqueles que a atacam por pelo processo de impeachment que só se dará a partir do aval da reacionária burguesia nacional que só o fará se achar que pode sair mais fortalecida. Não houve por parte dos companheiros qualquer visão mais crítica sobre a entrada de Mourão na presidência, o mesmo general que disse que os jovens mortos em jacarezinho eram todos bandidos. Seria de fato Mourão uma opção frente a Bolsonaro para a juventude, os trabalhadores e os demais setores oprimidos?

Diante dos recentes processos de luta de classes que tomam as ruas na Colômbia, é importante refletirmos mais estrategicamente como colocar um fim a essa crise e atuar contra os retrocessos e ataques econômicos. Em cada uma de suas intervenções, a Juventude Faísca colocou a necessidade de um combate organizado a esse regime que batalhe pela imposição de uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana por meio da qual os trabalhadores a juventude possam batalhar pela revogação de todas as reformas.

O Centro Acadêmico da Faculdade de Educação chama todos os estudantes a se incorporarem ao bloco dos estudantes da FEUSP. Na Assembleia Geral dos Estudantes da USP levaremos a proposta de conformação de um bloco unitário dos estudantes da USP no ato do dia 29 de maio, assim como apresentaremos a consigna aprovada em nossa assembleia. Consideramos que a Assembleia Geral é de fundamental importância, por isso viemos chamando a que o DCE Livre da USP, dirigido pelo PT, PCdoB e Levante Popular da Juventude, construísse esse espaço democrático de organização que já não acontece há 1 ano e meio, podendo pensar e decidir os passos e bandeiras de nossa luta rumo ao 29M. Antes tarde do que nunca, amanhã, 26, está sendo chamada. Não só isso, levaremos também o chamado aprovado em nossa assembleia à UNE e à CUT pela unificação dos trabalhadores e da juventude em uma forte luta no 29M, rompendo com a divisão que as direções estudantis e operárias do PT e PCdoB vêm impondo.

Confira abaixo os encaminhamentos aprovados na Assembleia dos Estudantes da Faculdade de Educação:

- Posição dos estudantes da FEUSP contra o estatuto de conformidades e FORA PM DA USP!
- Se incorporar a ações que aconteçam contra os cortes de bolsa e em defesa da permanência estudantil;
- Se incorporar nas ações que já estão sendo articuladas contra a presença da polícia no campus;
- Bloco dos estudantes da FEUSP pro ato dia 29, com a seguinte consigna: "FEUSP com os professores em greve! Abaixo os cortes na educação, vacina para todos e permanência já! Fora Bolsonaro e Mourão!";
- Chamado a que o DCE organize um bloco unitário dos estudantes da USP no dia 29/05;
- Chamado a UNE e a CUT pela unificação dos trabalhadores e da juventude em uma forte luta dia 29/05.




Tópicos relacionados

29 de maio   /    DCE USP   /    São Paulo   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Juventude    /    FEUSP   /    USP   /    Juventude

Comentários

Comentar